logo

Termo(s) de pesquisa:
OR_Maria do Carmo de Siqueira Nino []
Registros encontrados:
página 1 de 1


1 / 10
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: OLIVEIRA, Renato da Silva

Título: A alegoria em Rip Van Winkle: diálogos entre literatura e cinema

Orientador: Maria do Carmo de Siqueira Nino

Universidade: Universidade Federal de Pernambuco

Instituição/Programa: Centro de Artes e Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 14.03.2018

AutorOLIVEIRA, Renato da Silva
TítuloA alegoria em Rip Van Winkle: diálogos entre literatura e cinema
OrientadorMaria do Carmo de Siqueira Nino
UniversidadeUniversidade Federal de Pernambuco - Centro de Artes e Comunicação, Recife
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauMestrado
Data de entrega2018
Data de defesa14.03.2018
Descrição físicav.1; 109 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFPE
Fonterepositorio.ufpe.br
Resumo[...] Neste sentido, por meio de uma perspectiva comparada, pretendemos discutir como a alegoria se desenvolve no conto Rip Van Winkle (1819) do autor estadunidense Washington Irving e na adaptação fílmica O dorminhoco de Francis Ford Coppola, produzido para uma série chamada Faerie Tale Theatre apresentado no Brasil pela TV Cultura em 1987. Os pressupostos teóricos e críticos baseiam-se numa discussão literária e fílmica para a construção de um diálogo entre as obras que são objetos desse estudo, dessa forma, os resultados pretendem demonstrar como a leitura alegórica contribui para o significado de ambos os textos. Por meio deste dispositivo literário é possível entender a sátira que as obras apresentam sobre o perfil dos Estados Unidos no século 19 durante o período de colonização e de lutas pela independência.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



2 / 10
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: TAVARES, Ana Adelaide Peixoto

Título: Que mergulho! O espaço vertiginoso da subjetividade feminina no livro/filme As Horas

Orientador: Maria do Carmo de Siqueira Nino

Universidade: Universidade Federal de Pernambuco

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Doutorado

Data de defesa: 2008

AutorTAVARES, Ana Adelaide Peixoto
TítuloQue mergulho! O espaço vertiginoso da subjetividade feminina no livro/filme As Horas
OrientadorMaria do Carmo de Siqueira Nino
UniversidadeUniversidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauDoutorado
Data de entrega2008
Data de defesa2008
Descrição físicav.1; 243 f.; Ilustrado com 18 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca Letras
Fonterepositorio.ufpe.br
ResumoO romance As Horas (Michael Cunningham), adaptado para o cinema com o mesmo título , por Stephen Daldry, ilustra bem uma tendência contemporânea de criação artística em que um texto é construído a partir de outr(os) já famos(os), questionando-se aspectos de originalidade e considerando-se características onde se incluem a fragmentação, a colagem, e a paródia. O objetivo dessa pesquisa é analisar o romance e o filme As Horas, tendo como foco o espaço vertiginoso da subjetividade feminina; subjetividade esta que possui um sujeito fragmentado e deslocado do seu papel histórico. [...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



3 / 10
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: MENDONÇA, Fernando de

Título: A modernidade em diálogo: o fluir das artes em água viva

Orientador: Maria do Carmo de Siqueira Nino

Universidade: Universidade Federal de Pernambuco

Instituição/Programa: - Mestrado em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2009

AutorMENDONÇA, Fernando de
TítuloA modernidade em diálogo: o fluir das artes em água viva
OrientadorMaria do Carmo de Siqueira Nino
UniversidadeUniversidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009
Instituição/ProgramaMestrado em Letras
GrauMestrado
Data de defesa2009



4 / 10
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: MELO, Petra Pasti Montarroyos de

Título: O monstruoso no imaginário fílmico: um estudo sobre o cinema de Tim Burton

Orientador: Maria do Carmo de Siqueira Nino

Universidade: Universidade Federal de Pernambuco

Instituição/Programa: - Mestrado em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2011

AutorMELO, Petra Pasti Montarroyos de
TítuloO monstruoso no imaginário fílmico: um estudo sobre o cinema de Tim Burton
OrientadorMaria do Carmo de Siqueira Nino
UniversidadeUniversidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011
Instituição/ProgramaMestrado em Comunicação
GrauMestrado
Data de defesa2011



5 / 10
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: GANDIER, Ângela Maranhão

Título: Memória e História, fotografia e cinema nas narrativas transemióticas de Valêncio Xavier

Orientador: Maria do Carmo de Siqueira Nino

Universidade: Universidade Federal de Pernambuco

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Doutorado

Data de defesa: 28.02.2013

AutorGANDIER, Ângela Maranhão
TítuloMemória e História, fotografia e cinema nas narrativas transemióticas de Valêncio Xavier
OrientadorMaria do Carmo de Siqueira Nino
UniversidadeUniversidade Federal de Pernambuco, Recife
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauDoutorado
Data de entrega2012
Data de defesa28.02.2013
Descrição físicav.1; 184 f.; Ilustrado.
DisponibilidadeBiblioteca UFPE
Fonterepositorio.ufpe.br
ResumoA obra literária de Valêncio Xavier (1933-2008) confere ao autor as marcas de originalidade inconfundíveis, figurando como uma das criações mais densas da literatura brasileira, no sentido de refletir os dilemas e impasses da cultura contemporânea. Minha proposta nesta tese é discutir a interferência da Memória & da História, da Fotografia & do Cinema nas narrativas transemióticas do autor, como resultado final da pesquisa que investigou a configuração de texto & imagem nos seguintes livros-invenção: a coletânea de contos O Mez da Grippe e outras histórias (1998), o romance Minha Mãe Morrendo e o Menino Mentido (2001) e Crimes à moda antiga: contos verdade (2004). Na abordagem do tema, o meu propósito é discorrer sobre a centralidade que a imagem ocupa no processo discursivo do autor, perspectivando as obras xavierianas no âmbito da literatura e da arte brasileira contemporânea. A obra de Valêncio Xavier é certamente a que revela de modo mais criativo as possibilidades da literatura atuar como eixo relacional aberto a interações com outras artes. A imagem interfere na narrativa como princípio formal, sendo responsável tanto pela coerência estrutural como pela originalidade das obras. [...] Dentro desse contexto, o meu objetivo principal é estabelecer uma interlocução entre a literatura, o cinema, a fotografia, a pintura e artes plásticas e gráficas, ancorada na linha de pesquisa em que esta tese se insere: Literatura e Intersemiose. Por essa razão, optei por uma abordagem metodológica interpretativa, de âmbito literário, filosófico, histórico e artístico.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



6 / 10
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SILVA, Raquel do Monte

Título: Abril despedaçado: das montanhas albanesas ao sertão nordestino

Orientador: Maria do Carmo de Siqueira Nino

Universidade: Universidade Federal de Pernambuco

Instituição/Programa: Departamento de Comunicação Social - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 28.05.2009

AutorSILVA, Raquel do Monte
TítuloAbril despedaçado: das montanhas albanesas ao sertão nordestino
OrientadorMaria do Carmo de Siqueira Nino
UniversidadeUniversidade Federal de Pernambuco - Departamento de Comunicação Social, Recife
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação
GrauMestrado
Data de entrega2009
Data de defesa28.05.2009
Descrição físicav.1; 96 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFPE
Fontecapes.gov.br / ufpe.br
ResumoO trabalho investiga as relações entre Literatura e Cinema a partir da obra Abril despedaçado, romance albanês adaptado pelo cineasta brasileiro Walter Salles Júnior. Para tanto, analisamos como as categorias narrativas - tempo, espaço, personagens e foco narrativo - foram apresentadas em cada expressão artística. Neste sentido apoiamo-nos em discussões sobre teorias da adaptação, códigos literários e linguagem cinematográfica. A partir de então, percebemos que o espaço exerce uma função fundamental no processo de transposição e que ele é um dos elementos estruturador da recriação fílmica. Ao longo da pesquisa analisamos trechos do filme e do livro que denotam aspectos relevantes e que traduzem o espírito dialógico das obras. A nossa hipótese inicial era que a construção do espaço cinematográfico em Abril reflete no campo do cinema uma atualização de um projeto regional surgido na década de 30 com o Romance Regionalista. No entanto, durante a investigação observamos que Salles reproduz o Sertão, legitimando, portanto, uma imagética da região pautada em anacronismos e representações do imaginário social congeladas.
ObservaçãoDois anexos com ficha técnica e lista de personagens.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



7 / 10
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SILVA, Iomana Rocha de Araújo

Título: Cinema experimental brasileiro: poesia, ousadia e desconstrução em Limite, O Bandido da luz vermelha e Cosmococas

Orientador: Maria do Carmo de Siqueira Nino

Universidade: Universidade Federal de Pernambuco

Instituição/Programa: - Mestrado em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.02.2009

AutorSILVA, Iomana Rocha de Araújo
TítuloCinema experimental brasileiro: poesia, ousadia e desconstrução em Limite, O Bandido da luz vermelha e Cosmococas
OrientadorMaria do Carmo de Siqueira Nino
UniversidadeUniversidade Federal de Pernambuco, Recife
Instituição/ProgramaMestrado em Comunicação
GrauMestrado
Data de entrega2008
Data de defesa01.02.2009
Descrição físicav.1; 100 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFPE
Fontecapes.gov.br / ufpe.br
ResumoEste trabalho é um estudo do cinema experimental brasileiro, a partir da análise de três casos específicos: Limite (1930) de Mário Peixoto, o qual se aponta o pioneirismo e ousadia; O bandido da luz vermelha (1969), de Rogério Sganzerla, onde se destaca o escracho e transgressão frente ao contexto cultural da época; e as Cosmococas (1973), de Hélio Oiticica e Neville D'Almeida, nas quais se enfatiza a desconstrução e o caráter, radical e inventivo, bem como o fato desta ser uma obra precursora de questões atuais. Dedica-se nesta pesquisa à análise das características experimentais, bem como das principais influências estéticas e ideológicas presentes nestas obras, enfatizando o caráter antropofágico do experimental brasileiro, e a forma como estas representam seu contexto artístico e sociocultural em cada período histórico. Além disso observam-se as inovações artísticas implementadas por cada obra, enfatizando a importância da experimentação para o desenvolvimento artístico e ideológico do cinema nacional.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



8 / 10
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: GOUVEIA, Maria Alice Lucena de

Título: A construção do protagonismo feminino no cinema pernambucano na contemporaneidade: uma análise sobre o Édipo, a perversão e a prostituição na construção do imaginário sobre a mulher pernambucana

Orientador: Maria do Carmo de Siqueira Nino

Universidade: Universidade Federal de Pernambuco

Instituição/Programa: Faculdade de Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 08.06.2009

AutorGOUVEIA, Maria Alice Lucena de
TítuloA construção do protagonismo feminino no cinema pernambucano na contemporaneidade: uma análise sobre o Édipo, a perversão e a prostituição na construção do imaginário sobre a mulher pernambucana
OrientadorMaria do Carmo de Siqueira Nino
UniversidadeUniversidade Federal de Pernambuco - Faculdade de Comunicação, Recife
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação
GrauMestrado
Data de entrega2009
Data de defesa08.06.2009
Descrição físicav.1; 123 f.
DisponibilidadeBiblioteca Artes e Comunicação
Fonteufpe.br / capes.gov.br
ResumoO presente trabalho se propõe a analisar a construção do protagonismo feminino nos três últimos filmes lançados e produzidos no Nordeste que têm mulheres em seus papéis principais: “O Céu de Suely”, “Deserto Feliz” e “Baixio das Bestas”. Porque todas as protagonistas desses três filmes estão, foram ou serão prostitutas? De que forma essas representações contribuem para reflexão sobre a condução feminina no Nordeste do Brasil? Em nossa análise dialogaremos com os preceitos psicanalíticos baseados no mito edipiano na tentativa de investigar a construção da subjetividade feminina e sua vinculação com o referente universal masculino, assim como levaremos em conta novas formas de subjetivação derivadas de uma crise de masculinidade que permeia o mundo contemporâneo. De que forma esse cinema utiliza a imagem da mulher e que implicações o discurso edipiano deixa impresso nos aspectos estéticos e técnicos dos três filmes?
ObservaçãoAnexo com as fichas dos filmes (p.121-3).
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



9 / 10
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SANTOS FILHO, José Jacinto dos

Título: O espaço na narrativa literária e fílmica em O Beijo da mulher aranha

Orientador: Maria do Carmo de Siqueira Nino

Universidade: Universidade Federal de Pernambuco

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 04.12.2007

AutorSANTOS FILHO, José Jacinto dos
TítuloO espaço na narrativa literária e fílmica em O Beijo da mulher aranha
OrientadorMaria do Carmo de Siqueira Nino
UniversidadeUniversidade Federal de Pernambuco, Recife
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauMestrado
Data de entrega2007
Data de defesa04.12.2007
Descrição físicav.1; 160 f.; Ilustrado com fotos do filme.
DisponibilidadeBiblioteca Letras
Fontecapes.gov.br / ufpe.br
ResumoO espaço literário e fílmico não é vazio, é cheio de nossos sonhos, desejos, ideais, valores, crenças, de tudo aquilo que move nossa existência e nos faz ter experiência. Esse espaço é mundo no mundo de nossas narrativas. Assim, procuramos pesquisar o texto literário e a imagem cinematográfica numa perspectiva interdisciplinar e fenomenológica, visando a refletir sobre o discurso intersemiótico do espaço na prosa romanesca contemporânea e as implicações discursivas da tradução de uma linguagem, a fílmica. No filme como no romance, o espaço se realiza pelas conexões estabelecidas entre personagens e ambientação imaginária e pelo sujeito-leitor-espectador, diante da representação espacial sugerida pelos objetos de representação. [...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



10 / 10
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: FIGUEIREDO, Rosália de Oliveira

Título: O teleitor em O Auto da compadecida e em Cidade de Deus

Orientador: Maria do Carmo de Siqueira Nino

Universidade: Universidade Federal de Pernambuco

Instituição/Programa: Departamento de Letras - Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2003

AutorFIGUEIREDO, Rosália de Oliveira
TítuloO teleitor em O Auto da compadecida e em Cidade de Deus
OrientadorMaria do Carmo de Siqueira Nino
UniversidadeUniversidade Federal de Pernambuco - Departamento de Letras, Recife
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras e Linguística
GrauMestrado
Data de entrega2003
Data de defesa2003
Descrição físicav.1; 110 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFPe
Fonteufpe.br
ResumoAbordagem sobre o diálogo entre a literatura e as imagens mediáticas da televisão e do cinema através de duas obras literárias adaptadas para esses meios tecnológicos, O Auto da compadecida, de Ariano Suassuna e Cidade de Deus, de Paulo Lins, criando um novo termo (teleitor) para quem procura, depois de assistir uma dessas adaptações na TV ou no cinema, ir em busca do livro que serviu de base para a produção, analisando as perdas e ganhos que acontecem numa obra literária, adaptada aos meios modernos da comunicação.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



página 1 de 1

Banco de teses sobre Cinema Brasileiro

   
Pesquisar (apenas um termo por linha):
no campo:
 
1     
2   
3