logo

Termo(s) de pesquisa:
OR_Ivana Bentes de Oliveira []
Registros encontrados:
página 1 de 1


1 / 9
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SILVA, Marcelo Carvalho da

Título: Do universo maquínico à imagem oculta do cinema: construção e caracterização da imagem-perceptual no sistema de imagens do cinema de Gilles Deleuze

Orientador: Ivana Bentes de Oliveira

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Instituição/Programa: - ECO

Grau: Doutorado

Data de defesa: 2014

AutorSILVA, Marcelo Carvalho da
TítuloDo universo maquínico à imagem oculta do cinema: construção e caracterização da imagem-perceptual no sistema de imagens do cinema de Gilles Deleuze
OrientadorIvana Bentes de Oliveira
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014
Instituição/ProgramaECO
GrauDoutorado
Data de defesa2014



2 / 9
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: FORMENTÃO, Francismar

Título: Estética da relação: apontamentos sobre Peter Greenaway

Orientador: Ivana Bentes de Oliveira

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Instituição/Programa: Escola de Comunicação - Programa de Pós Graduação em Comunicação e Cultura

Grau: Doutorado

Data de defesa: 29.04.2014

AutorFORMENTÃO, Francismar
TítuloEstética da relação: apontamentos sobre Peter Greenaway
OrientadorIvana Bentes de Oliveira
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
Instituição/ProgramaPrograma de Pós Graduação em Comunicação e Cultura
GrauDoutorado
Data de entrega2014
Data de defesa29.04.2014
Descrição físicav.1; 122 f.; ilustrado com 18 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fontepos.eco.ufrj.br / sucupira.capes.gov.br
ResumoO diálogo nesta tese parte de teorias sobre a estética como experiência para uma fundamentação epistemológica na filosofia da linguagem do Círculo de Mikhail Bakhtin, e, em seguida, faz o cotejo com produções do cineasta e artista Peter Greenaway, principalmente em relação às questões sígnicas e de comunicação estética. Compreende-se neste estudo que a estética não se concretiza no artefato, no objeto estético ou trata-se de um mecanismo linguístico, e sim, de um movimento axiológico de distanciamento entre consciências criadoras, materializadas nas relações estabelecidas por meio dos enunciados, cotidianos ou extraordinários. Confirmando assim que, na existência humana, há a presença da ética, estética e cognição como elementos basilares da cultura.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



3 / 9
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: FREITAS, Kenia Cardoso Vilaça de

Título: A ressonância das imagens: a emergência da multidão no Egito, na Espanha e no Brasil

Orientador: Ivana Bentes de Oliveira

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Doutorado

Data de defesa: 04.05.2015

AutorFREITAS, Kenia Cardoso Vilaça de
TítuloA ressonância das imagens: a emergência da multidão no Egito, na Espanha e no Brasil
OrientadorIvana Bentes de Oliveira
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicações, Rio de Janeiro
GrauDoutorado
Data de entrega2015
Data de defesa04.05.2015
Descrição físicav.1; 189 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fontepos.eco.ufrj.br/site
ResumoPesquisa dos filmes e dos videos ressonantes produzidos sobre a multidão emergente nas manifestações de rua do Egito, da Espanha e do Brasil, entre os anos de 2011 e 2013. O trabalho tem como ponto de partida o caráter ressonante dessas imagens em movimento, entendo a ressonância como uma efervescência corporal, afetiva e tangivel gerada pelo encontro da multidão nas mobilizações politicas. Dessa forma, o objetivo da pesquisa e o de construir uma reflexão sobre as imagens em movimento das manifestações de rua atuais por meio da qualidade ressonante que as atravessam. A hipótese levantada e a de que as imagens ressonantes dos acontecimentos insurgentes são elementos de mobilização, de memoria e de constituição efetiva desses eventos. Assim, por meio da analise multidiciplinar de filmes e videos, a tese evidenciara a ressonância das imagens de protestos sob dois aspectos: nas cenas dos corpos da multidão nas ruas e nos dispositivos fílmicos de edição, roteirização e montagem que produzem ou ampliam esse efeito. O trabalho realizara também uma comparação entre as imagens ressonantes produzidas nos eventos insurgentes do Egito, da Espanha e do Brasil e as produzidas nos acontecimentos que constituem a sua genealogia.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



4 / 9
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: MIGLIORIN, Cezar Avila

Título: Eu sou aquele que está de saída: experiência, dispositivo e biopolítica no documentário contemporâneo

Orientador: Ivana Bentes de Oliveira

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Doutorado

Data de defesa: 07.04.2008

AutorMIGLIORIN, Cezar Avila
TítuloEu sou aquele que está de saída: experiência, dispositivo e biopolítica no documentário contemporâneo
OrientadorIvana Bentes de Oliveira
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
GrauDoutorado
Data de entrega2008
Data de defesa07.04.2008
Descrição físicav.1; 305 f.; Ilustrado
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fontecapes.gov.br / objdig.ufrj.br
ResumoPropomos um estudo que parte do encontro entre filmes e textos sobre o documentário contemporâneo que nos leva a formular a noção de filme-dispositivo. Estabelecida a noção de dispositivo, buscamos entender os efeitos e as potências desta operação para a produção de filmes ligados ao campo do documentário. As potências rizomáticas, conexionista e de experiência do dispositivo encontram limites na forma como o capitalismo contemporâneo está, também ele, interessado nessas mesmas potências. Com este problema, desenvolvemos a noção de uma resistência paradoxal em ambiente biopolítico. Entre o elogio à individuação e os dissensos políticos, trabalhamos com a noção de democracia no documentário como operador dos embates necessários para a manutenção do dispositivo como espaço de diferença.
ObservaçãoTese defendida em co-tutela com a Université de Paris Sorbonne Nouvelle.
Anexo 1 com fotos de filmes e documentos (p.282-90)
Anexo 2 com lista de filmes, instalações, vídeos e trabalhos citados (p.291-2).
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



5 / 9
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SILVA, Gustavo Souza da

Título: Traficantes, justiceiros e rappers: a invasão dos setores da margem na produção

Orientador: Ivana Bentes de Oliveira

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.03.2006

AutorSILVA, Gustavo Souza da
TítuloTraficantes, justiceiros e rappers: a invasão dos setores da margem na produção
OrientadorIvana Bentes de Oliveira
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
GrauMestrado
Data de entrega2006
Data de defesa01.03.2006
Descrição físicav.1; 176 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fontecapes.gov.br / ufrj.br
ResumoEste trabalho quer investigar a relacão entre a produção nacional de documentários e grupos socialmente marginalizados. O recorte cronológico se dá a partir da segunda metade dos anos 90, pois, desse período em diante, o cinema nacional empreendeu a sua "retomada". Dessa forma, a realização de documentários tornou-se representativa não apenas quantitativamente, mas também qualitativamente. Os documentários selecionados para essa pesquisa são: Notícias de uma guerra particular (João Moreira Salles e Kátia Lund, 1999), O Rap do pequeno príncipe contra as almas sebosas (Paulo Caldas e Marcelo Luna, 2000), Fala tu (Guilherme Coelho, 2003). O fio condutor destes três filmes é a abordagem, cada um à sua maneira, da experiência com o cotidiano de violência urbana e marginalidade. A partir desses três documentários procuraremos entender que fatores possibilitam a escalada dos segmentos marginalizados do morro ou favela para as telas de cinema. Para isso, centraremos as atenções em seus personagens, pois a partir deles é possivel perceber a complexidade que os cercam. Veremos como os meios de comunicação, em especial o noticiário, e as estruturas de poder se articulam de modo a conferir visibilidade a tais grupos.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



6 / 9
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: FIALHO, Carlos Eduardo Machado

Título: Entre o ócio e o ilícito: representações do tempo livre no cinema brasileiro

Orientador: Ivana Bentes de Oliveira

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Doutorado

Data de defesa: 01.03.2005

AutorFIALHO, Carlos Eduardo Machado
TítuloEntre o ócio e o ilícito: representações do tempo livre no cinema brasileiro
OrientadorIvana Bentes de Oliveira
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
GrauDoutorado
Data de entrega2005
Data de defesa01.03.2005
Descrição físicav.1; 185 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fonteobjdig.ufrj.br / capes.gov.br / cnpq.br
ResumoAnálise das formas de expressão do tempo ocioso na pós-modernidade, utilizando a narrativa dos filmes brasileiros das duas últimas décadas. Os flmes analisados são: Cronicamente inviável (Sérgio Bianchi, 2000), O Invasor (Beto Brant, 2001), Edifício Master (Eduardo Coutinho, 2002) e O Homem que copiava (Jorge Furtado, 2003).
ObservaçãoTambém aparece com 179 p.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



7 / 9
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: NEMER, Sylvia Regina Bastos

Título: A função intertextual do cordel no cinema de Glauber Rocha

Orientador: Ivana Bentes de Oliveira

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Doutorado

Data de defesa: 01.02.2005

AutorNEMER, Sylvia Regina Bastos
TítuloA função intertextual do cordel no cinema de Glauber Rocha
OrientadorIvana Bentes de Oliveira
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
GrauDoutorado
Data de entrega2004
Data de defesa01.02.2005
Descrição físicav.1; 222 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fontefênix2.ufrj.br / objdig.ufrj.br
ResumoEsperando contribuir para ampliar as discussões sobre o problema da intertextualidade fílmica, o objetivo do presente trabalho é refletir sobre a apropriação da literatura de cordel em Deus e o diabo na terra do sol (1964) e em O dragão da maldade cntra o santo guerreiro (1969), filmes de Glauber Rocha dedicados à representação do universo social e cultural sertanejo. A preocupação do cineasta com a forma de representação, discutida em seus textos Estética da fome (1965) e Estética do sonho (1971), reflete-se nos dois filmes estudados, no modo como estes lidam com o cordel. Recusando o tratamento da temática sertaneja pelo cinema político da época o cineasta procurava retratar o sertão e a partir de suas próprias tradições que passavam, contudo por um processo de transformação visando a sua adaptação, em primeiro lugar, à narrativa cinematográfica e, em segundo, a uma perspectiva política inexistente nas manifestações da cultura popular. Isso explica porque as composições, tanto as canções de Deus e o diabo quanto as falas, inspiradas nos desafios repentistas, de O dragão da maldade, foram feitas por artistas letrados como Sérgio Ricardo e o próprio cineasta que escreveu as respectivas letras. Com base nessas questões, o presente trabalho procura verificar o que os referidos filmes retém da tradição popular do cordel e o modo de expresssá-lo cinematograficamente.
ObservaçãoTambém aparece com o título Glauber Rocha e a literatura de cordel: uma relação intertextual com 269 p.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



8 / 9
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: ALVAREZ, Carolina

Título: Arthur Omar: a imagem em êxtase

Orientador: Ivana Bentes de Oliveira

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.10.2002

AutorALVAREZ, Carolina
TítuloArthur Omar: a imagem em êxtase
OrientadorIvana Bentes de Oliveira
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
GrauMestrado
Data de entrega2002
Data de defesa01.10.2002
Descrição físicav.1; 133 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fontecapes.gov.br / minerva.ufrj.br
ResumoA presente dissertação tem como objetivo o mapeamento das principais questões que aparecem ao longo da obra do cineasta Arthur Omar, pensada a partir de temas dominantes em grupos de filmes e vídeos, de acordo com o catálogo da mostra "A Lógica do Extase". A Mostra, realizada no Centro Cultural Banco do Brasil, do Rio de Janeiro, de 18 de maio de 2001 a 10 de junho de 2001, consistiu de uma Retorspectiva de Filmes e Vídeos do cineasta e também do Ciclo de Palestras "Fronteiras da Arte". Trata-se de uma primeira análise da obra de Arthur Omar e conta com material ainda inédito transcrito deste evento. Em cada capítulo são abordados temas constitutivos de sua obra, como a desconstrução do documentário tradicional, a relação entre documentário e ficção, a sensorialidade da imagem, o uso do som, da trilha sonora e da música, a relação entre violência estética e violência social, a relação dos filmes com outras partes - artes plásticas, fotografia, moda, antropologia, cinema, vídeo, sociologia, etc. - a desconstrução e construção narrativa. Além dos temas, também poderemos perceber a relação da sua obra com questões históricas que marcam o cinema da vanguarda européia dos anos 20, o cinema underground americano, o cinema moderno de Jean-Luc Godard e o cinema marginal brasileiro.



9 / 9
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: MATOS, Marcos Fábio Belo

Título: E o cinema invadiu a Athenas: um estudo sobre o cinema ambulante em São Luís - 1898-1909

Orientador: Ivana Bentes de Oliveira

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.07.2000

AutorMATOS, Marcos Fábio Belo
TítuloE o cinema invadiu a Athenas: um estudo sobre o cinema ambulante em São Luís - 1898-1909
OrientadorIvana Bentes de Oliveira
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
Abragência do estudo1898-1909
GrauMestrado
Data de entrega2000
Data de defesa01.07.2000
Descrição físicav.1; 144 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fonteminerva.ufrj.br / capes.gov.br / eco.ufrj.br
PublicaçãoMATOS, Marcos Fábio Belo. ...E o cinema invadiu a Athenas: a história do cinema ambulante em São Luís. Säo Luís, FUNC, 2002.
ResumoAbordagem histórica sobre o ciclo do cinema ambulante em São Luiz, a partir dos registros das crônicas e notícias dos jornais e análise das repercussões da cinematografia no ambiente da cidade.



página 1 de 1

Banco de teses sobre Cinema Brasileiro

   
Pesquisar (apenas um termo por linha):
no campo:
 
1     
2   
3