logo

Termo(s) de pesquisa:
OR_Eduardo Victorio Morettin []
Registros encontrados:
página 1 de 1


1 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: PEREIRA, Erika Amaral

Título: Representações da mulher caipira no cinema brasileiro: Amélia (2000), de Ana Carolina, e Uma vida em segredo (2001), de Suzana Amaral

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Mestrado

Data de defesa: 17.12.2020

AutorPEREIRA, Erika Amaral
TítuloRepresentações da mulher caipira no cinema brasileiro: Amélia (2000), de Ana Carolina, e Uma vida em segredo (2001), de Suzana Amaral
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
GrauMestrado
Data de entrega2020
Data de defesa17.12.2020
Descrição físicav.1; 236 f.; ilustrado com 71 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
ResumoNa virada dos anos 1990 para 2000, período conhecido como a Retomada, imagens da vida rural e de sujeitos caipiras, popularizadas desde os anos 1960 por figuras como o Jeca Tatu de Amácio Mazzaropi, ganham novo espaço no cinema brasileiro, bem como uma outra face: dessa vez, o protagonismo das narrativas fílmicas é de mulheres caipiras, em filmes escritos e dirigidos por mulheres cineastas. Com o objetivo de analisar as representações da caracterização cinematográfica da cultura caipira através de personagens femininas, investigamos os filmes Amélia (2000), de Ana Carolina e Uma vida em segredo (2001), de Suzana Amaral. Em ambos os filmes, busca-se examinar se tais representações, quando construídas por artistas mulheres, diferenciam-se das imagens tradicionais, desenhadas pela perspectiva masculina e patriarcal, a respeito da cultura caipira. [...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



2 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: BUTRUCE, Débora Lúcia Vieira

Título: A restauração de filmes no Brasil e a incorporação da tecnologia digital no século XXI

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Doutorado

Data de defesa: 12.07.2020

AutorBUTRUCE, Débora Lúcia Vieira
TítuloA restauração de filmes no Brasil e a incorporação da tecnologia digital no século XXI
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
GrauDoutorado
Data de entrega2020
Data de defesa12.07.2020
Descrição físicav.1; 300 f.; ilustrado com 77 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
ResumoEsta tese tem como objetivo refletir sobre a restauração de filmes no Brasil e a transformação ocasionada pela incorporação da tecnologia digital nas práticas da atividade na virada dos anos 2000. Tem como eixo o exame de três restaurações realizadas em momentos históricos significativos para a área no país: O ébrio (1946), de Gilda de Abreu , exemplar da chamada restauração editorial efetuada no momento de transição da tecnologia fotoquímica para a tecnologia digital, processo finalizado em 1998; O padre e a moça (1966), de Joaquim Pedro de Andrade , primeiro trabalho de restauração digital em tecnologia 2K no Brasil, realizado em 2005; e O dragão da maldade contra o santo guerreiro (1969), de Glauber Rocha , projeto de restauração digital em 4K de um filme em cores, executado por um profissional brasileiro em um laboratório estrangeiro e encerrado em 2008. Procuramos verificar em que medida a disseminação das ferramentas digitais contribuiu para o amadurecimento do restauro de filmes no Brasil, até o momento do colapso da atividade em 2015, com o fechamento de laboratórios cinematográficos e de seus departamentos dedicados ao trabalho de restauração. [...]
ObservaçãoAnexos (p.268-300)
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



3 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: GIACOMO, Carolina Azevedo di

Título: Espectadores em trânsito: identificação, imersão e distinção no Rio de Janeiro do início do século XX

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.11.2019

AutorGIACOMO, Carolina Azevedo di
TítuloEspectadores em trânsito: identificação, imersão e distinção no Rio de Janeiro do início do século XX
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
GrauMestrado
Data de entrega2019
Data de defesa01.11.2019
Descrição físicav.1; 180 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
ResumoEsta dissertação apresenta três exercícios historiográficos acerca da cultura visual carioca do início do século XX, em que se evidenciam aspectos contraditórios de relações de classe, gênero e origem, por meio de diferentes operações de identificação e distinção. O primeiro capítulo analisa as imagens remanescentes de Circuito de São Gonçalo (Empresa F. Serrador, 1909), sobre a corrida de automóveis homônima, em diálogo com filmes estrangeiros semelhantes, buscando aproximar progresso e catástrofe. O segundo capítulo mapeia a presença dos simuladores cinematográficos no Brasil, que emulavam passeios de automóvel, e discute a experiência de seu espectador. Esses aparelhos são entendidos como um cenário no qual os presentes agiam como atores de uma encenação proposta pelo ambiente da atração. O terceiro capítulo sugere um percurso imaginário para o casal de caipiras que protagonizou o filme Sô Lotero e nhá Ofrasia com seus productos na Exposição (Labanca, Leal e Cia., 1908), hoje perdido. O encontro entre personagem ingênua e o universo cosmopolita condensou tanto o fascínio ligado aos signos da modernidade quanto a ansiedade provocada por eles.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



4 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: STOCO, Sávio Luiz

Título: O cinema de Silvino Santos (1918-1922) e a representação amazônica: história, arte e sociedade

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Doutorado

Data de defesa: 29.03.2019

AutorSTOCO, Sávio Luiz
TítuloO cinema de Silvino Santos (1918-1922) e a representação amazônica: história, arte e sociedade
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
GrauDoutorado
Data de entrega2019
Data de defesa29.03.2019
Descrição físicav.1; 290 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
ResumoEssa tese investiga a representação da região amazônica nos filmes longas-metragens documentais do cineasta luso-brasileiro Silvino Santos Amazonas, maior rio do mundo (1918-1920) e No paiz das Amazonas (1921/1922), considerando sua dimensão histórica e estética. Busca-se discutir as particularidades apreendidas em cada um deles por meio da análise fílmica e à luz da história e das tradições discursivas sobre a região enfocada. As análises empreendidas procuraram demonstrar o multifacetado trânsito de referências históricas e culturais que se encontram na origem da criação cinematográfica de Silvino Santos e das elites locais com os quais se relacionou. Foram utilizados elementos diversos, oriundos de relatórios oficiais, críticas de jornais, livros, fotografias, pinturas, cartões postais que corroboram diversas estratégias de filmagens, sejam elas "documentais", ficcionalizantes, encenadas etc.[...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



5 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SIQUEIRA, Daniela Giovana

Título: Cineastas mineiros em trânsito (1968-1970): política, cultura e memória

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Doutorado

Data de defesa: 18.04.2019

AutorSIQUEIRA, Daniela Giovana
TítuloCineastas mineiros em trânsito (1968-1970): política, cultura e memória
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
Abragência do estudo1968-1970
GrauDoutorado
Data de entrega2019
Data de defesa18.04.2019
Descrição físicav.1; 277 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
ResumoEsta tese se dedica à análise dos filmes: A vida provisória (1968), de Maurício Gomes Leite; Sagrada família (1970), de Sylvio Lanna; Crioulo doido (1970), de Carlos Alberto Prates Correia e Perdidos e malditos (1970), de Geraldo Veloso, com o objetivo de compreender uma questão central apresentada por essas obras: na virada dos anos de 1968/1970, para pensar o Brasil seria necessário voltar a Minas Gerais, mesmo no limite de sua negação física. Seus diretores partem de uma formação comum: o cineclubismo vivido no Centro de Estudos Cinematográficos de Minas Gerais (CEC) e o exercício da crítica cinematográfica desenvolvida na Revista de Cinema e em jornais diários na cidade de Belo Horizonte. A migração para o Rio de Janeiro, ocorrida na década de 1960, e a formação profissional nessa nova cidade, marca a história de todos esses realizadores, bem como imprime aos filmes perspectivas que, segundo nossa análise, criam trânsitos sinuosos entre os dois maiores movimentos do cinema moderno brasileiro: o Cinema Novo e o Cinema Marginal.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



6 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: LABAKI, Luiz Felipe Ribeiro

Título: Viértov no papel: um estudo sobre os escritos de Dziga Viértov

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Mestrado

Data de defesa: 27.10.2016

AutorLABAKI, Luiz Felipe Ribeiro
TítuloViértov no papel: um estudo sobre os escritos de Dziga Viértov
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
GrauMestrado
Data de entrega2016
Data de defesa27.10.2016
Descrição físicav.2; 586 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
ResumoEste é um estudo sobre os escritos do cineasta Dziga Viértov e sobre a publicação desses documentos na União Soviética e, posteriormente, na Rússia. Na primeira parte deste trabalho, é analisado o primeiro momento de resgate da obra de Viértov na então URSS pouco após o falecimento do cineasta, em 1954. Relacionando esse processo ao contexto mais amplo do chamado Degelo e analisando o período que vai de 1957 a 1967, vemos como o redescobrimento dos filmes de Viértov correu em paralelo com o redescobrimento de sua obra escrita, através da publicação de seus artigos, diários e roteiros inéditos inicialmente em revistas e jornais, depois na primeira coletânea desses escritos a ser publicada na URSS, Statí. Dnevnikí. Zámisli (Artigos. Diários. Projetos), organizada por Serguei Drobachenko. [...]
ObservaçãoA numeração entre os volumes é contínua.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



7 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SOUZA, Tainah Negreiros Oliveira de

Título: A memória recriada: história e imagem em La jetée (1962) e Sans soleil (1982) de Chris Marker

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Mestrado

Data de defesa: 17.04.2013

AutorSOUZA, Tainah Negreiros Oliveira de
TítuloA memória recriada: história e imagem em La jetée (1962) e Sans soleil (1982) de Chris Marker
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
GrauMestrado
Data de entrega2013
Data de defesa17.04.2013
Descrição físicav.1; 101 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
ResumoAs praias de Agnès é um filme elaborado por meio de um movimento retrospectivo em que a cineasta Agnès Varda reflete sobre sua vida e compõe uma costura entre a sua narrativa e a maneira como mobiliza trechos de diversas obras suas. O trabalho está voltado para analisar o filme partindo da hipótese de que As praias de Agnes, além de estabelecer esse contato entre recordações e processo de criação, reúne elementos que atravessam a filmografia da cineasta. A pesquisa esteve dedicada a lançar luz sobre as recorrências mas também observando as singularidades de cada trabalho, percebendo neles o que torna Agnès Varda uma artista que instiga o estudo sobre sua obra. O esforço foi de investigar o modo como a cineasta aliou seus temas à forma fílmica a partir da relação que estabelece entre memórias, história e os contatos que promove entre o cinema e outras artes.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



8 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: PINHEIRO, Fábio Luciano Francener

Título: Cinema, melodrama e história em Steven Spielberg: da representação dos traumas aos mitos fundadores

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Doutorado

Data de defesa: 03.05.2018

AutorPINHEIRO, Fábio Luciano Francener
TítuloCinema, melodrama e história em Steven Spielberg: da representação dos traumas aos mitos fundadores
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
GrauDoutorado
Data de entrega2018
Data de defesa03.05.2018
Descrição físicav.1; 401 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
ResumoO objetivo desta tese é estudar os códigos do melodrama a partir das análises de quatro filmes históricos do cineasta Steven Spielberg: Amistad (1997), Lincoln (2012), A Lista de Schindler (1993) e O Resgate do Soldado Ryan (1998). Os títulos selecionados são reconstruções cinematográficas de acontecimentos históricos que abordam momentos emblemáticos da história americana: a escravidão e a figura de Lincoln, a participação na Segunda Guerra Mundial e o extermínio dos judeus pelos nazistas. Nossa preocupação foi a de apontar como o melodrama funde-se e se impõe sobre outros gêneros, como o drama histórico, o biopic, o Holocaust Film e o war film.[...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



9 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: MELO, Izabel de Fátima Cruz

Título: Cinema, circuitos culturais e espaços formativos: novas sociabilidades e ambiência na Bahia (1968-1978)

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Doutorado

Data de defesa: 02.05.2018

AutorMELO, Izabel de Fátima Cruz
TítuloCinema, circuitos culturais e espaços formativos: novas sociabilidades e ambiência na Bahia (1968-1978)
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
Abragência do estudo1968-1978
GrauDoutorado
Data de entrega2018
Data de defesa02.05.2018
Descrição físicav.1; 225 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
ResumoA tese Cinema, circuitos culturais e espaços formativos: novas sociabilidades e ambiência na Bahia (1968-1978), tem como objetivo principal investigar a triangulação existente entre o Clube de Cinema da Bahia (CCB), o Grupo Experimental de Cinema (GEC) e as Jornadas de Cinema da Bahia como um espaço formativo de uma cultura cinematográfica em Salvador entre os anos 60 e 70, possibilitando a emergência de críticos, cineclubistas, diretores, entre outras atribuições, funções e modalidades de participação no universo cinematográfico. Nesta perspectiva, compreendermos o cinema como uma prática cultural que se estabelece através de redes de sociabilidade, formação e aprendizagem, reconhecendo-os, como elementos principais no campo cinematográfico em Salvador no período. Assim, por meio da sua documentação interna (boletins, correspondências, ofícios, programas, relatórios, catálogos, fichas de inscrição, entre outros), cobertura jornalística e entrevistas com alguns então participantes e organizadores, interessa-nos recompor a sua trajetória através das suas atividades, tais como cursos livres e profissionalizantes, mostras, seminários e realização de filmes.[...]
ObservaçãoAnexo (p.180-225).
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



10 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: GOULART, Isabella Regina Oliveira

Título: Perdidos na tradução: as representações da latinidade e as versões em espanhol de Hollywood no Brasil (1929-1935)

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Doutorado

Data de defesa: 11.05.2018

AutorGOULART, Isabella Regina Oliveira
TítuloPerdidos na tradução: as representações da latinidade e as versões em espanhol de Hollywood no Brasil (1929-1935)
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
Abragência do estudo1929-1935
GrauDoutorado
Data de entrega2018
Data de defesa11.05.2018
Descrição físicav.1; 276 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
ResumoEsta tese aborda a circulação no Brasil de versões em espanhol produzidas por estúdios de Hollywood nos primeiros anos do cinema sonoro. Procuramos identificar nestes filmes algumas representações que os produtores norte-americanos vincularam à identidade latina. Temos o Rio de Janeiro e São Paulo como recorte geográfico, a partir da pesquisa histórica de recepção nas revistas Cinearte e A Scena Muda e nos jornais Correio da Manhã e O Estado de São Paulo. Entre 1930 e 1935, esses periódicos mencionaram uma série de produções hollywoodianas em língua espanhola, que nossas revistas consideraram inferiores aos filmes originais em inglês devido à barreira da língua e aos padrões de qualidade cinematográficos estabelecidos. Visamos demonstrar como a recepção das versões pela imprensa carioca e paulistana marcou o distanciamento que alguns grupos de nossa elite cultural projetavam em relação à América Latina, bem como um espelhamento nos Estados Unidos, afirmando uma relação imperialista pela via da cultura.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



11 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: OLIVEIRA, Sérgio Eduardo Alpendre de

Título: O mal-estar da sociedade americana e sua representação no cinema (1975-1978)

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Mestrado

Data de defesa: 25.09.2013

AutorOLIVEIRA, Sérgio Eduardo Alpendre de
TítuloO mal-estar da sociedade americana e sua representação no cinema (1975-1978)
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
Abragência do estudo1975-1978
GrauMestrado
Data de entrega2013
Data de defesa25.09.2013
Descrição físicav.1; 218 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
ResumoNeste trabalho investigamos em que medida o mal-estar da sociedade americana, entre 1975 e 1978, causado por uma série de acontecimentos dos anos 1970 (fim da Guerra do Vietnã, reivindicações das chamadas minorias sociais, crise da OPEP e Watergate, entre outros), foi representado em filmes comerciais, feitos dentro de Hollywood e sem maiores ambições autorais. Os filmes analisados neste trabalho são: Rocky - Um Lutador (John G. Avildsen, 1976) e Os Embalos de Sábado à Noite (John Badham, 1977).
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



12 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: FOSTER, Lila Silva

Título: Cinema amador brasileiro: história, discursos e práticas (1926-1959)

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Doutorado

Data de defesa: 22.09.2016

AutorFOSTER, Lila Silva
TítuloCinema amador brasileiro: história, discursos e práticas (1926-1959)
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
Abragência do estudo1926-1959
GrauDoutorado
Data de entrega2016
Data de defesa22.09.2016
Descrição físicav.1; 267 f.; Ilustrado com 11 imagens diversas.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
Resumo[...] tem como objetivo principal mapear historicamente o surgimento das atividades cinematográficas amadoras no Brasil, por meio da consulta a fontes documentais e filmes preservados em arquivos. Tema ainda inexplorado pela historiografia do cinema brasileiro, o primeiro passo do nosso estudo foi a própria constituição do campo. Para tanto, partimos da análise histórica do surgimento da figura do amador e sua relação com as questões da modernidade nos séculos XIX e XX até chegarmos ao lançamento dos equipamentos específicos para o público cineamador na década de 1920. A formação desse novo mercado e público consumidor também propiciou a convivência de diversas formas de produção e espaços de prática, como a feitura de filmes de família no ambiente doméstico, a produção de ficções e documentários em clubes de cinema e a experimentação artística. Adotamos esses três eixos da produção amadora como base para pensarmos os primeiros anos do cinema no Brasil e algumas dessas manifestações em filmes preservados em arquivos. [...] As colunas de amadores de Cinearte são o primeiro indício desta cultura amadora no Brasil. A revista será uma porta-voz brasileira desta transformação, não só pela divulgação sobre os equipamentos dedicados exclusivamente ao nicho amador, como também uma fonte extremamente rica sobre os deslizamentos do termo amador e sua especificidade no tocante ao contexto brasileiro. O segundo momento privilegiado de análise são as atividades do Foto-Cine Clube Bandeirante, a partir de 1945. A pesquisa sobre as atividades do clube se centrará na análise das colunas cineamadoras publicadas no Boletim Foto-Cine, onde encontramos informações sobre os diversos concursos organizados e a relação do departamento cinematográfico com outras instituições culturais do período.[...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



13 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: ADAMATTI, Margarida Maria

Título: A crítica cinematográfica no jornal alternativo Opinião: frentismo, estética e política nos anos setenta

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Doutorado

Data de defesa: 23.04.2015

AutorADAMATTI, Margarida Maria
TítuloA crítica cinematográfica no jornal alternativo Opinião: frentismo, estética e política nos anos setenta
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
GrauDoutorado
Data de entrega2014
Data de defesa23.04.2015
Descrição físicav.1; 437 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
PublicaçãoADAMATTI, Margarida Maria. Crítica de cinema e repressão: estética e política no jornal alternativo Opinião. São Paulo, Alameda, 2019.
ResumoOpinião (1972-1977) é um dos mais importantes jornais da imprensa alternativa. O semanário nasceu para fazer a oposição ao regime militar através da união entre várias tendências políticas, na chamada Frente Ampla. Mesmo com forte censura, surgiu um tipo de crítica progressista caracterizada pelo profundo debate político e estético. A discussão do cinema não era feita só do ponto de vista da estética, mas também como imperativo político contra o regime militar. Analisamos as metodologias dos críticos Jean-Claude Bernardet, Sérgio Augusto, Marcos Ribas de Farias, Gustavo Dahl, José Carlos Avellar e Clóvis Marques para observar como cada um deles articula nos textos os imperativos da estética e da política. Na recepção aos filmes, algumas temáticas estão sempre presentes: o papel do intelectual, a discussão sobre a cultura popular e a linguagem cinematográfica mais adequada para conquistar o público brasileiro. O objetivo da tese é avaliar como os críticos reelaboram e reconstroem um projeto político e estético para o cinema brasileiro nos anos setenta. Nas disputas internas do jornal, é possível também acompanhar como as questões da resistência cultural se fazem presentes no cotidiano dos críticos de cinema.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



14 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: CARDENUTO FILHO, Reinaldo

Título: O cinema político de Leon Hirszman (1976-1981): engajamento e resistência durante o regime militar brasileiro

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Doutorado

Data de defesa: 13.10.2014

AutorCARDENUTO FILHO, Reinaldo
TítuloO cinema político de Leon Hirszman (1976-1981): engajamento e resistência durante o regime militar brasileiro
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
Abragência do estudo1976-1981
GrauDoutorado
Data de entrega2014
Data de defesa13.10.2014
Descrição físicav.1; 426 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
ResumoO objetivo central desta tese é estudar o percurso artístico e intelectual de Leon Hirszman a partir dos filmes Que país é este? (1976-77), ABC da greve (1979- 90) e Eles não usam black-tie (1981). Discutindo as relações entre cinema e História, a pesquisa se concentra nas práticas culturais, estéticas e ideológicas do realizador, procurando analisar as interpretações que ele mobilizou em torno do Brasil durante a vigência do regime militar. [...] o diretor se voltaria para uma produção em sintonia com o viés comunista de engajamento, em diálogo com a tradição do realismo crítico e disposta a elaborar narrativas e registros documentais em confronto ao autoritarismo dos militares. Nesse sentido, mesmo sem partilhar do ideário do novo sindicalismo surgido sobretudo entre os metalúrgicos da cidade paulista de São Bernardo do Campo, Hirszman deslocaria a figura do operário para o centro do processo criativo de ABC da greve e de Black-tie, representando-o em uma chave próxima à resistência articulada pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB), na qual o trabalhador seria visto como parte de uma ampla frente organizada para superar a ditadura e atuar em prol da redemocratização. Uma obra realizada com o intuito de responder aos dilemas sociais de seu contexto histórico, a propor uma abordagem particular sobre a classe popular e a militância antiautoritária, a partir de leituras e experiências estéticas construídas em meio aos impasses que percorreram a esquerda política e cultural na segunda metade dos anos 1970.
ObservaçãoAnexos (p.386-426).
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



15 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SOARES, Natália de Castro

Título: A cor no cinema silencioso do Brasil (1913-1931): produção e linguagem

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Mestrado

Data de defesa: 02.10.2014

AutorSOARES, Natália de Castro
TítuloA cor no cinema silencioso do Brasil (1913-1931): produção e linguagem
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
Abragência do estudo1913-1931
GrauMestrado
Data de entrega2014
Data de defesa02.10.2014
Descrição físicav.1; 180 f.; Ilustrado com a reprodução de fotogramas (p.126-68).
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
NotasApêndice com a lista de materiais identificados )p.174).
ResumoEste trabalho se dispõe a investigar o uso da cor no cinema silencioso do Brasil. Para isso, toma como fontes documentais tanto objetos fílmicos remanescentes quanto documentação e bibliografia diversas existentes sobre o assunto. Um primeiro capítulo será dedicado aos processos de colorização existentes no cinema silencioso, de uma forma geral, e a questões técnicas e estéticas relacionadas a esses processos: o contexto histórico em que surgiram as técnicas de colorização no cinema, suas origens em meios diversos, as características dessas técnicas de colorização e sua presença nos mercados cinematográficos mais conhecidos, as questões suscitadas pelo uso da cor e seus desdobramentos. No segundo capítulo, tentaremos mapear nossa prática e nossas discussões acerca da cor nos filmes do período silencioso: quais são as informações acerca das técnicas que utilizamos e da real presença de filmes coloridos em nossas sessões cinematográficas e da cor nos filmes que estávamos produzindo? Como as questões colocadas internacionalmente ecoaram no Brasil e quais foram as questões específicas que surgiram aqui? No último capítulo, trataremos mais especificamente da análise de filmes de nossa filmografia, ou seja, dos materiais em nitrato de época colorizados ainda existentes e inspecionados para esta pesquisa. Levantaremos e discutiremos as técnicas de colorização e as funções do uso da cor encontradas nesta filmografia.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



16 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: GOULART, Isabella Regina Oliveira

Título: A ilusão da imagem: o sonho do estrelismo brasileiro em Hollywood

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Mestrado

Data de defesa: 05.03.2013

AutorGOULART, Isabella Regina Oliveira
TítuloA ilusão da imagem: o sonho do estrelismo brasileiro em Hollywood
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
GrauMestrado
Data de entrega2013
Data de defesa05.03.2013
Descrição físicav.1; 142 f.; Ilustrado.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
ResumoA dissertação investiga o concurso de beleza fotogênica realizado pela Fox Film no Brasil em 1926-1927, com o fim de levar um casal de atores para Hollywood. A pesquisa tem como fonte jornais e revistas de grande circulação à época e documentos do Acervo Pedro Lima. Consideramos o contexto histórico-social, relações étnicas e de gênero, a incorporação de padrões de beleza ligados à modernidade e a constância de concursos femininos, bem como o estrelismo. Ponderamos a negociação entre nossa imprensa e o star system durante o concurso.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



17 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: BARROS, Rubem Rabello Maciel de

Título: A (re)construção do passado: música, cinema, história

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Mestrado

Data de defesa: 07.10.2011

AutorBARROS, Rubem Rabello Maciel de
TítuloA (re)construção do passado: música, cinema, história
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
GrauMestrado
Data de entrega2011
Data de defesa07.10.2011
Descrição físicav.1; 200 f.; Ilustrado com fotos dos filmes analisados.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
PublicaçãoBarros, Rubem Rabello Maciel de. Poéticas de fragmentos. São Paulo, Alameda, 2014.
ResumoEste trabalho analisa os usos do material de arquivo, as construções discursivas e a visão historiográfica deles decorrentes em dois filmes dedicados a personagens da música popular brasileira, em particular do samba: o curta-metragem A voz e o vazio: A vez de Vassourinha (1998), de Carlos Adriano, e o longa-metragem Cartola, música para os olhos (2006), de Lírio Ferreira e Hilton Lacerda. Os dois filmes estão construídos a partir de uma perspectiva da estética found footage, com o material de arquivo operando como base indicial para novos arranjos de sentido na interpretação da história. A análise busca identificar os nexos criados pelas duas obras e a variada gama de diálogos culturais que podem ser inferidos de sua leitura. Em destaque, o lugar que a música popular ocupa na cultura urbana brasileira. Ao fazê-lo, o trabalho identifica matrizes estéticas comuns, como o cinema de invenção de Julio Bressane, mas que resultam em diferentes abordagens historiográficas: uma, signatária de uma visão pós-moderna; a outra, mais próxima a uma atualização da crônica histórica.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



18 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: XAVIER, Priscila de Almeida

Título: Representação cinematográfica e história institucional: uma análise de filmes sobre o Instituto Butantan (1928-1953)

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Mestrado

Data de defesa: 27.09.2010

AutorXAVIER, Priscila de Almeida
TítuloRepresentação cinematográfica e história institucional: uma análise de filmes sobre o Instituto Butantan (1928-1953)
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo, 2010
Abragência do estudo1928-1953
GrauMestrado
Data de entrega2010
Data de defesa27.09.2010
Descrição físicav.1; 170 f.; Ilustrado com reproduções de fotogramas de filmes e documentos.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br / capes.gov.br
ResumoA história do Instituto Butantan, como a de qualquer outra instituição, traz ao longo do tempo mudanças e rupturas do modelo político implantado, conforme diretrizes da diretoria, contexto social e histórico e por fatores outros. Uma representação cinematográfica das atividades exercidas pela instituição não evidencia tais modificações, até mesmo porque a função de um filme de divulgação é mostrar sempre o que se julga pertinente, buscando legitimação e adesão à organização. Isso pode criar e, inclusive, reforçar mitos e memórias, tanto para o público externo, quanto para uma tomada de posição por parte dos funcionários. O estudo que aqui se apresenta, tem por objetivo analisar filmes cuja temática seja o Instituto Butantan, quer ele seja o tema central ou parte da narrativa. Selecionamos filmes institucionais de divulgação científica e também documentários sobre a cidade de São Paulo, em que a imagem do instituto se fazia presente. Partimos do arquivo permanente da própria instituição e de acervos externos a ela. O recorte histórico privilegia os anos de 1928-1953, que constituem as diretorias de Afrânio do Amaral e de Eduardo Vaz, comparando-as com os paradigmas deixados por Vital Brazil, primeiro e mais conhecido diretor do local. Verificamos uma representação da instituição, cuja idéia de modernidade, seja da ciência ou da cidade, tinha um claro contraponto com o mundo rural, tido como sinônimo de atraso em São Paulo à época e esse embate acaba chegando aos filmes realizados.
ObservaçãoApêndice com decupagem dos filmes, fotografias e tabelas; anexo com fichas catalográficas da Cinemateca Brasileira.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



19 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: COELHO, Maria Fernanda Curado

Título: A experiência brasileira na conservação de acervos audiovisuais - um estudo de caso

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Mestrado

Data de defesa: 18.12.2009

AutorCOELHO, Maria Fernanda Curado
TítuloA experiência brasileira na conservação de acervos audiovisuais - um estudo de caso
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
Abragência do estudo1946-2001
GrauMestrado
Data de entrega2009
Data de defesa18.12.2009
Descrição físicav.1; 288 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fontecapes.gov.br / teses.usp.br
Publicaçãoe-book: COELHO, Maria Fernanda Curado. A experiência brasileira na conservação de acervos audiovisuais. São Paulo, Editora Mnemocine, 2017.
ResumoA dissertação concentra-se no estudo do desenvolvimento do Sistema de Conservação do acervo audiovisual da Cinemateca Brasileira. Através da linha histórica, e a partir do olhar do técnico que participa diretamente das atividades de conservação, descreve cada etapa da evolução dos procedimentos dessas atividades e de alguns procedimentos de catalogação. Compreendendo o período de 1946 a 2001, a pesquisa acompanha o amadurecimento técnico institucional, desde os primeiros passos no conhecimento do objeto audiovisual e das técnicas de conservação, passa pelo desenvolvimento de um banco de dados para o controle de informações técnicas e de conteúdo, que finaliza com a implantação das áreas climatizadas para a guarda de longa permanência do acervo.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



20 / 20
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: ADAMATTI, Margarida Maria

Título: A crítica cinematográfica e o star system nas revistas de fãs: A Cena Muda e Cinelândia (1952-1955)

Orientador: Eduardo Victorio Morettin

Universidade: Universidade de São Paulo

Grau: Mestrado

Data de defesa: 06.03.2009

AutorADAMATTI, Margarida Maria
TítuloA crítica cinematográfica e o star system nas revistas de fãs: A Cena Muda e Cinelândia (1952-1955)
OrientadorEduardo Victorio Morettin
UniversidadeUniversidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo
Abragência do estudo1952-1955
GrauMestrado
Data de entrega2008
Data de defesa06.03.2009
Descrição físicav.1; 327 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECA
Fonteteses.usp.br
ResumoO objetivo desta dissertação é analisar a cobertura jornalística ao cinema brasileiro durante os anos cinquenta em duas revistas de fãs: A Cena Muda (1921-1955) e Cinelândia (1952-1967), avaliando a estrutura da crítica cinematográfica e seu papel como geradora do star system brasileiro. A análise do material de nosso estudo congrega os anos de 1952 a 1955, único período em que as duas publicações coexistiram. Através da análise comparativa com a cobertura ao cinema de Hollywood, traçamos os paralelos da configuração do estrelismo brasileiro, com especial atenção às estratégias de legitimação do sistema para aumentar o interesse dos leitores e às peculiaridades da crítica em lidar com o star system.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



página 1 de 1

Banco de teses sobre Cinema Brasileiro

   
Pesquisar (apenas um termo por linha):
no campo:
 
1     
2   
3