logo

Termo(s) de pesquisa:
OR_Cristiane Freitas Gutfreind []
Registros encontrados:
página 1 de 2
ir para página        


1 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: RONNA, Giuliana Nogueira

Título: Rastros de uma voz: a instância gráfica na cinescrita de Agnès Varda

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: Escola de Comunicação, Arte e Design - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 12.03.2019

AutorRONNA, Giuliana Nogueira
TítuloRastros de uma voz: a instância gráfica na cinescrita de Agnès Varda
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Comunicação, Arte e Design, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação
GrauMestrado
Data de entrega2019
Data de defesa12.03.2019
Descrição físicav.1; 118 f.; ilustrado com 49 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca Central PUCRS
Fontetede2.pucrs.br
ResumoNeste trabalho, busco refletir a instância gráfica na cinescrita vardiana, enquanto um recurso que revela rastros de uma voz. Aproximo os conceitos de vestígio, rastro e traço em Benjamin (2006) e Derrida (2001) com aspectos da narração e da figura fílmica em Dubois (1999), viabilizando uma reflexão centrada nas formas de inscrição na película capazes de modificar os componentes visíveis e legíveis da imagem. Para tanto, realizo análises da instância gráfica nos filmes As duas faces da felicidade (Le Bonheur, 1965), Sem teto nem lei (Sans toit ni loi, 1985) e As praias de Agnès (Les plages d'Agnès, 2008). As análises expõem como a narração, constituída a partir desta instância, sugere aquilo que já não está mais visível, mas permanece latente na visualidade. Dessa forma, o gráfico participa de um modo de visibilidade que se organiza na experiência do rastro, dizendo algo sobre o filme.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



2 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: VALLES, Rafael Rosinato

Título: Narrar o vivido, viver o narrado: a construção do diário na obra de Jonas Mekas

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: Escola de Comunicação, Arte e Design - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Grau: Doutorado

Data de defesa: 19.03.2018

AutorVALLES, Rafael Rosinato
TítuloNarrar o vivido, viver o narrado: a construção do diário na obra de Jonas Mekas
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Comunicação, Arte e Design, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação
GrauDoutorado
Data de entrega2018
Data de defesa19.03.2018
Descrição físicav.1; 226 f.; ilustrado com 82 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca Central PUCRS
Fontetede2.pucrs.br
ResumoEsta tese realiza um estudo sobre o diário, que aparece na obra do cineasta Jonas Mekas em três formatos: o diário escrito, o filme-diário e o vídeo-diário. O objetivo é analisar como essa obra contribui para um entendimento sobre o diário enquanto forma narrativa e como o autor constrói o seu processo de autorrepresentação por meio dos diários. Este trabalho procura construir uma definição de diário, a partir de referenciais teóricos relacionados ao âmbito literário (Braud, 2006; Simonet-Tenant, 2004; Girard, 1986; Lejeune, 2015; Blanchot, 2005) e audiovisual (James, 2013; Renov, 1996). Como objetos de estudo, são analisados o livro I had nowhere to go (1991), os filmes-diário Lost Lost Lost (1976), Walden – Diaries, Sketches & Notes (1969), Reminiscências de uma viagem para a Lituânia (1972) e os vídeos-diário pertencentes a 365 Day Project (2007). Esta tese assume como metodologia os conceitos de teceduras (Daney, 2007; Benjamin, 1994) e rasgaduras (Daney, 2007; Didi-Huberman, 2014, 2015), a partir da forma como Mekas realiza as suas escolhas narrativas e apresenta a sua condição histórica. Este trabalho conclui que a obra em pauta aporta um entendimento sobre o diário não somente como um gênero literário, mas como uma narrativa que se afirma na sua pluralidade de formas [...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



3 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SANTOS JÚNIOR, Luiz Guilherme dos

Título: Trilogia do corpo: encenações do grotesco no cinema de Cláudio Assis

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: Escola de Comunicação, Arte e Design - Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social

Grau: Doutorado

Data de defesa: 26.03.2018

AutorSANTOS JÚNIOR, Luiz Guilherme dos
TítuloTrilogia do corpo: encenações do grotesco no cinema de Cláudio Assis
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Comunicação, Arte e Design, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação Social
GrauDoutorado
Data de entrega2018
Data de defesa26.03.2018
Descrição físicav.1; 201 f.; ilustrado com 131 imagens.
Fontetede2.pucrs.br
ResumoA tese analisa as encenações do erótico-grotesco no cinema de Cláudio Assis, a partir dos filmes Amarelo Manga (2002), Baixio das Bestas (2006) e Febre do Rato (2011). Objetivamos analisar as representações do erótico-grotesco a partir de determinados personagens da trilogia fílmica de Cláudio Assis, e por meio de categorias referentes à encenação cinematográfica, dentre elas, enquadramentos, planos, ângulos, iluminação e movimentos de câmera. No que diz respeito à encenação, realizamos um trânsito entre o teatro e cinema, com o intuito de compreender as diferenças de enfoque, segundo os estudos de Pavis (2010); Aumont (2006); Comolli (2008); Oliveira Jr. (2013), Bordwell; Thompson (2013) e Bazin (2014). Para a análise do grotesco, partimos de conceitos oriundos de autores que versam sobre o tema nos estudos literários, no teatro e nas artes visuais. Para o entendimento do grotesco, utilizamos os aportes de Hugo (2007); Kaiser (1986); Stam (1992); Russo (2000) e Sodré & Paiva (2002), com ênfase nas proposições conceituais de Bakhtin (2013) acerca das analogias entre corpo e "imagem grotesca"; e Didi-Huberman (2015), que analisa o corpo "disforme" com base no pensamento estético de Georges Bataille.[...]
ObservaçãoAnexo com fichas técnicas dos filmes.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



4 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: RÉGIO, Marília Schramm

Título: Imagens e memórias: a representação do 11 de setembro no cinema norte-americano

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social

Grau: Doutorado

Data de defesa: 28.06.2017

AutorRÉGIO, Marília Schramm
TítuloImagens e memórias: a representação do 11 de setembro no cinema norte-americano
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação Social
Abragência do estudo2002-2012
GrauDoutorado
Data de entrega2017
Data de defesa28.06.2017
Descrição físicav.1; 207 f.; Ilustrado com 38 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca Frei Otão
Fontepucrs.br
ResumoA análise das imagens em movimento possibilita interpretar as relações políticas e as representações sociais, visto que nelas estão expressas variadas perspectivas culturais e, portanto, variadas memórias. Esta tese aborda a representação dos atentados de 11 de setembro de 2001, em Nova York, em longas-metragens norte-americanos produzidos entre 2002 e 2012. Se existem diversos documentários sobre o 11 de setembro, não podemos dizer o mesmo dos longas-metragens de ficção. Há uma escassa produção sobre o assunto, limitada a conexões com o tema e seus desdobramentos. Diante desse cenário, surgiram duas perguntas. Quais são os filmes sobre os atentados do 11 de setembro? O que define filmes sobre os atentados? Como o cinema contempla a memória dos atentados em filmes de longa-metragem norte-americanos? Nossos objetivos específicos são mapear as imagens produzidas pelos filmes selecionados e observar as estratégicas estéticas que contribuem para a produção de uma “cultura da memória” (HUYSSEN, 2000) em relação aos atentados. Em outras palavras, desejamos entender de que modo são representadas as memórias sobre os atentados na cinematografia norteamericana. Para tanto, selecionamos cinco filmes que constituem o corpus desta pesquisa: As Torres Gêmeas (Olivier Stone, 2006), Voo United 93 (Paul Greengrass, 2006), A Última Noite (Spike Lee, 2002), O Relutante Fundamentalista (Mira Nair, 2012) e A Hora Mais Escura (Kathryn Bigelow, 2012). Como metodologia, utilizamos a técnica de análise fílmica, apoiando-nos em Jacques Aumont, René Gardies, Michel Marie e Laurent Jullier. A partir das análises propostas, nosso pressuposto é de que observaremos nos filmes o conceito de “lugar de memória”, estipulado por Pierre Nora (1993), e de que perceberemos paralelos com a “cultura da memória”, noção abordada por Andreas Huyssen (2000). Constatamos que a cinematografia norte-americana impôs a ausência das imagens dos atentados de 11 de setembro, e as narrativas analisadas caminham juntas no sentido da reconstrução de uma memória ainda fragilidade.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



5 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SPOLIDORO, Gustavo

Título: O cineasta errante: caminhos e encontros na realização de um filme de um homem só

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: ontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2013

AutorSPOLIDORO, Gustavo
TítuloO cineasta errante: caminhos e encontros na realização de um filme de um homem só
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
Universidadeontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação
GrauMestrado
Data de defesa2013



6 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: ROSA, Letícia Gomes da

Título: Dos contos de fada aos desenhos animados: a comunicação através do processo crítico das narrativas

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: - Faculdade de Comunicação Social

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2007

AutorROSA, Letícia Gomes da
TítuloDos contos de fada aos desenhos animados: a comunicação através do processo crítico das narrativas
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007
Instituição/ProgramaFaculdade de Comunicação Social
GrauMestrado
Data de defesa2007



7 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: PEDROSA, Leonardo Bonfim

Título: Moderno descoberto por filmes que pensam o cinema de Lumière ao pós-guerra

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: - Mestrado em Comunicação Social

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2012

AutorPEDROSA, Leonardo Bonfim
TítuloModerno descoberto por filmes que pensam o cinema de Lumière ao pós-guerra
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012
Instituição/ProgramaMestrado em Comunicação Social
GrauMestrado
Data de defesa2012



8 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: COSTA, Bruno César Simões

Título: Manifestações do imaginário no cinema contemporâneo

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: Faculdade de Comunicação Social - Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social

Grau: Doutorado

Data de defesa: 2011

AutorCOSTA, Bruno César Simões
TítuloManifestações do imaginário no cinema contemporâneo
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Faculdade de Comunicação Social, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação Social
GrauDoutorado
Data de entrega2011
Data de defesa2011
Descrição físicav.1; 239 f.; ilustrado com 21 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca Central PUCRS
Fontetede2.pucrs.br
Resumo[...] O objetivo geral deste trabalho é destacar as aparições e iluminar algumas das qualidades dos imaginários contemporâneos nos filmes, utilizando para tanto uma pequena seleção de títulos e pesando como estes podem acusar sua aparição a partir do jogo de duplicação do registro ficcional que com seu vai-e-vem entre mundos pode exibir mais claramente algo que não tem determinação ontológica precisa, mas que é inegavelmente presente, considerando, ainda, a riqueza, as especificidades e a capacidade única de trafegar entre o real e irreal do material fílmico.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



9 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: CONTRERAS, Carolina Andrea Diaz

Título: Personagens femininas na filmografia de Sofia Coppola: representações e identidade no cinema contemporâneo

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: Faculdade de Comunicação Social - Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social

Grau: Mestrado

Data de defesa: 04.03.2009

AutorCONTRERAS, Carolina Andrea Diaz
TítuloPersonagens femininas na filmografia de Sofia Coppola: representações e identidade no cinema contemporâneo
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Faculdade de Comunicação Social, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação Social
GrauMestrado
Data de entrega2009
Data de defesa04.03.2009
Descrição físicav.1; 130 f.
DisponibilidadeBiblioteca PUCRS
Fontetede2.pucrs.br
ResumoEste trabalho examina os três filmes de longa-metragem dirigidos por Sofia Coppola: As virgens suicidas (The virgin suicides, 1999), Encontros e desencontros (Lost in translation, 2003) e Maria Antonieta (Maria Antoniette, 2006), sempre protagonizados por mulheres. Nosso propósito é pensar essas personagens em diálogo com a dificuldade de definir a ideia de mulher e o feminino, questionando temáticas de gênero, assim como a rigidez dos esquemas culturais da identidade sexual (Judith Butler, 2001). Coppola nos permite refletir sobre a representação (Francesco Casetti, 1996 e Jacques Rancière, 2005) das mulheres, através de personagens autônomas e deslocadas, que vivem em ambientes opressivos. As protagonistas desses filmes estão unidas por temas como a exploração do erotismo e o estado de contemplação, que são sintomas das sociedades contemporâneas e mostra da incerteza do sujeito
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



10 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: FEIX, Daniel R.

Título: Da entrevista à observação da ação: uma tendência realista-fabular no cinema brasileiro pós-2010

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: Escola de Comunicação, Arte e Design - Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2019

AutorFEIX, Daniel R.
TítuloDa entrevista à observação da ação: uma tendência realista-fabular no cinema brasileiro pós-2010
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Comunicação, Arte e Design, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação Social
GrauMestrado
Data de entrega2019
Data de defesa2019
Descrição físicav.1; 168 f.; ilustrado com 105 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca PUCRS
Fontetede2.pucrs.br
ResumoEsta dissertação tem como objetivo analisar a mudança da tendência dos documentários de entrevista, no cinema brasileiro do século XXI, para os filmes nos quais o encontro do Eu (o realizador e sua equipe) com o Outro (o personagem) se dá por meio da observação da ação. Com a câmera distante, capturando a intriga antes apenas relatada (KRACAUER, 1997), os filmes mineiros A falta que me faz (2010), O céu sobre os ombros (2011) e Girimunho (2012) implementaram gradativamente essa mudança. Neste estudo, os três são analisados a partir de algumas de suas sequências-chave, que dão a ver a incorporação de elementos do extracampo à imagem (BURCH, 2015), estabelecem um “efeito de presença” (RAMOS, 2008; DIDI-HUBERMAN, 2010) e uma “fabulação” (GUIMARÃES, 2001; DELEUZE, 2013) que reconfigura a relação entre o personagem e o espaço em que ele vive. Essas características são fundadoras da tendência realista-fabular no cinema nacional do período.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



11 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: BARBOSA, Simone Koff

Título: Simulacro como sedução no cinema: análise fílmica em Antes do anoitecer e Antes do por-do-sol

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: Faculdade de Comunicação Social - Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social

Grau: Doutorado

Data de defesa: 21.10.2008

AutorBARBOSA, Simone Koff
TítuloSimulacro como sedução no cinema: análise fílmica em Antes do anoitecer e Antes do por-do-sol
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Faculdade de Comunicação Social, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação Social
GrauDoutorado
Data de entrega2008
Data de defesa21.10.2008
Descrição físicav.1; 213 f.
DisponibilidadeBiblioteca PUCRS
Fontetede2.pucrs.br
ResumoEsta pesquisa tem como objetivo analisar os significados do "simulacro" como sedução e amor no cinema do ponto de vista da filosofia da comunicação a partir da obra do filósofo francês Jean Baudrillard. Em um primeiro momento, a pesquisa se propõe a abordar o que é "simulacro" equivalente ao "hiper-real", o que é cinema e o que é cinema como "simulacro" da realidade. Logo em seguida aprofundarei o estudo dos significados do "simulacro" como "morte, imortalidade e destino" e como "sedução e amor". O trabalho se propõe a estabelecer um diálogo entre filosofia da comunicação e cinema interpretando os significados do simulacro como sedução e amor nas narrativas fílmicas Antes do Amanhecer (Before Sunrise), de 1995 e Antes do Pôr-do-Sol (Before Sunset), de 2004, ambos escritos e dirigidos por Richard Linklater.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



12 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: BARBIZAN, Sílvio Nestor

Título: Tempo e montagem: do cinema ao imaginário e do imaginário ao cinema

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: Faculdade de Comunicação Social - Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social

Grau: Mestrado

Data de defesa: 23.03.2010

AutorBARBIZAN, Sílvio Nestor
TítuloTempo e montagem: do cinema ao imaginário e do imaginário ao cinema
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade do Rio Grande do Sul - Faculdade de Comunicação Social, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação Social
GrauMestrado
Data de entrega2010
Data de defesa23.03.2010
Descrição físicav.1; 136 f.
DisponibilidadeBiblioteca PUCRS
Fontetede2.pucrs.br
ResumoEste trabalho tem como objetivo buscar a compreensão de como se dá a relação entre o tempo representado no cinema e o imaginário. As questões envolvendo o tempo são frequentes no cotidiano das pessoas e é o tempo também o objeto da manipulação da montagem cinematográfica. Levantando os recursos possíveis na montagem para a representação temporal, bem como os entendimentos possíveis do tempo, chega-se às ligações entre cinema, tempo e imaginário (Aumont, 1993, 1995, 2003, 2008; Bazin, 1991; Eisenstein, 2002). A metodologia está centrada na análise fílmica de Vanoye e Goliot-Lété aliada a conceitos de representação temporal propostos por Jacques Aumont. Os conceitos aqui tratados são ilustrados com sequências de filmes de referência tais como Um Cão Andaluz (Um Chien Andalou), Cidadão Kane (Citzen Kane) e Acossado (A Bout De Souffle). O entendimento final é de que existe uma interrelação entre o cinema e o imaginário nas questões temporais, e que essa construção mútua passa pela montagem.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



13 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: AUGUSTI, Alexandre Rossato

Título: Cinema noir: as marcas da morte e do hedonismo na atualização do gênero

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social

Grau: Doutorado

Data de defesa: 15.01.2013

AutorAUGUSTI, Alexandre Rossato
TítuloCinema noir: as marcas da morte e do hedonismo na atualização do gênero
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação Social
GrauDoutorado
Data de entrega2012
Data de defesa15.01.2013
Descrição físicav.1; 288 f.; ilustrado com 44 imagens e um quadro.
DisponibilidadeBiblioteca Central PUCRS
Fontetede2.pucrs.br
ResumoEncontra-se uma rica oferta de possibilidades de estudo a respeito do cinema noir, considerando-se inclusive a escassez de pesquisas no país a seu respeito. Dessa forma, este estudo propõe compreender a contextualização do cinema noir, considerando a possibilidade de atualização do gênero e tendo por base sua constituição, por um lado amparada pela morte, a violência e o crime e, por outro, pelo hedonismo e a figura da femme fatale. Pretende-se verificar ainda como se contextualiza o cinema chamado neonoir e apontar, a partir das orientações teóricas (utilizando-se autores como James Ellroy; Carlos Heredero e Antônio Santamarina; Alain Silver e James Ursini; Luiz Nazário; e Marcia Ortegosa) e de análise propostas, as possibilidades de se considerar o cinema neonoir como continuidade do cinema noir clássico. A partir do suporte metodológico da análise fílmica, com base principalmente em Aumont e Marie (2004), e Vanoye e Goliot-Lété (1994), propõe-se a análise dos filmes Relíquia macabra (The maltese falcon John Huston, 1941), Gilda (Charles Vidor, 1946), Chinatown (Roman Polanski, 1974) e Estrada perdida (Lost highway David Lynch, 1997). Dentre as principais conclusões, indica-se que o noir pode tanto ser considerado contemporaneamente através do que se convenciona chamar neonoir ao se levar em conta uma riqueza de elementos noir rearranjados em filmes atualizados de acordo com a tecnologia, a cultura, a política, e que mesmo assim podem pertencer a outros gêneros, como através de uma disseminação menos classificável, em que alguns elementos são percebidos em filmes diversos, que eventualmente não são identificados como neonoir.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



14 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: NEGRINI, Márcio Zanetti

Título: Imagem, narrativa e subjetividade: análises político-afetivas em personagens dos filmes de Nelson Pereira dos Santos

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: - Mestrado em Comunicação Social

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2015

AutorNEGRINI, Márcio Zanetti
TítuloImagem, narrativa e subjetividade: análises político-afetivas em personagens dos filmes de Nelson Pereira dos Santos
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre
Instituição/ProgramaMestrado em Comunicação Social
GrauMestrado
Data de entrega2015
Data de defesa2015
Descrição físicav.1; 137 f.; Ilustrado com 26 imagens dos filmes analisados.
DisponibilidadeBiblioteca PUCRS
Fontepucrs.br
ResumoEsta dissertação propõe-se a investigar as relações entre imagem, narrativa e o político por meio da subjetividade. Desse modo, são realizadas análises fílmicas dos aspectos político-afetivos em personagens dos filmes Rio, Zona Norte (1957) e Boca de Ouro (1962), do diretor Nelson Pereira dos Santos. O político é tratado no cinema na perspectiva de Alain Badiou (2004), para quem os personagens manifestam-se politicamente nas formas de resistência às dominações de seus afetos. Com esse pressuposto, procura-se refletir como os personagens Espírito e Boca de Ouro produzem envolvimentos político-afetivos em seus cotidianos. Para isso, mobiliza-se um quadro teórico composto especialmente por Jacques Rancière (2012), Sigfried Kracauer (2001) e Gilles Deleuze (1985). As análises mostram que o político-afetivo dos personagens é formado através de campos de forças produzidos pela relação imagem-afeto-narrativa. Ou seja, ora a imagem revela formas de resistência, e a narrativa, sujeições, ora a narração produz sentidos de resistência e a imagem revela estabilizações nas formas de transformação afetiva dos personagens.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



15 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: CUNHA, Emiliano Fischer

Título: Cinema de fluxo: filmes que pensam o Brasil

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: Faculdade de Comunicação Social - Mestrado em Comunicação Social

Grau: Mestrado

Data de defesa: 21.03.2014

AutorCUNHA, Emiliano Fischer
TítuloCinema de fluxo: filmes que pensam o Brasil
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Faculdade de Comunicação Social, Porto Alegre
Instituição/ProgramaMestrado em Comunicação Social
GrauMestrado
Data de entrega2014
Data de defesa21.03.2014
Descrição físicav.1; 161 f.; Ilustrado.
DisponibilidadeBiblioteca Central PUCRS
Fontepucrs.br
ResumoO objetivo desta dissertação é analisar o cinema de fluxo, compreender como o mesmo se manifestou na produção recente do Brasil e propor uma análise fílmica a partir do sensível. Para isso, em um primeiro momento, buscamos conceituar o cinema de fluxo e apreender suas principais características. Em seguida, apresentamos um debate teórico em torno da ideia de real, tempo e sensível e a construção de sentido no cinema de fluxo. Para tanto, nos apoiamos em autores como André Bazin, Gilles Deleuze, Emanuele Coccia e Jacques Rancière. Por fim, faremos uma análise, erguida sobre o conceito de figura fílmica (de Philippe Dubois), sobre um corpus composto por dois longas-metragens de ficção, representantes do cinema de fluxo brasileiro: Os monstros (Pedro Diogenes, Guto Parente, Luiz Pretti e Ricardo Pretti, 2011) e Histórias que só existem quando lembradas (Julia Murat, 2011).
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



16 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SILVA, Dafne Reis Pedroso da

Título: Revelando os Brasis IV: os processos de produção dos curtas-metragens realizados no Rio Grande do Sul

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social

Grau: Doutorado

Data de defesa: 13.03.2013

AutorSILVA, Dafne Reis Pedroso da
TítuloRevelando os Brasis IV: os processos de produção dos curtas-metragens realizados no Rio Grande do Sul
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação Social
GrauDoutorado
Data de entrega2013
Data de defesa13.03.2013
Descrição físicav.1; 235 f.; Ilustrado com fotos dos filmes e gráficos.
DisponibilidadeBiblioteca Central PUCRS
Fontetede2.pucrs.br
ResumoO objetivo geral desta pesquisa foi investigar os processos de produção dos curtas-metragens realizados no Rio Grande do Sul, durante o Revelando os Brasis IV, em seus múltiplos contextos, e os curtas-metragens feitos em tais condições. Para dar conta das especificidades do problema/objeto investigado, trabalhei com os conceitos de espaço comunicacional, espaço audiovisual, cinema de bordas, cinema amador, e oficinas de capacitação audiovisual. Articulei também perspectivas teóricas para a compreensão dos filmes, desenvolvendo questões sobre construções de propostas identitárias e cinema gaúcho. Acerca das estratégias metodológicas, realizei pesquisa exploratória observando as oficinas de capacitação audiovisual e pesquisa sistemática observando as gravações dos curtas realizados no Rio Grande do Sul e as exibições itinerantes.Desde uma perspectiva multimetodológica, desenvolvi um conjunto de procedimentos que incluíram questionários fechados, entrevistas estruturadas de aplicação flexível, e observação participante com foco comunicacional. Os filmes foram analisados a partir de suas temáticas e relações com os processos produtivos, os sujeitos e os espaços. Evidencio a forma como o fenômeno das oficinas de capacitação audiovisual se relaciona com o Revelando os Brasis, como também os contextos regional e local, as condições de produção e as trajetórias dos sujeitos atuam enquanto configuradores dos filmes realizados. Analiso ainda como se instituem as relações entre as temáticas, tomadas aqui como propostas de ação do projeto e dos realizadores, e os filmes.
ObservaçãoApêndice A: questionário elaborado para os selecionados do projeto do Rio Grande do Sul (p.224-26); Apêndice B: roteiro de entrevistas com os selecionados do projeto (p.227-30); Apêndice C: roteiro de entrevistas realizadas com os organizadores do projeto (p.231-32); Apêndice D: questionário aplicado aos espectadores das exibições itinerantes (p.233-35).
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



17 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: BAUMHARDT, Virgínia Caetano

Título: Personagem e narrativa no documentário Jogo de cena

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social

Grau: Mestrado

Data de defesa: 24.01.2011

AutorBAUMHARDT, Virgínia Caetano
TítuloPersonagem e narrativa no documentário Jogo de cena
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação Social
GrauMestrado
Data de entrega2010
Data de defesa24.01.2011
Descrição físicav.1; 122 f.; Ilustrado com fotos do filme.
DisponibilidadeBiblioteca Central PUCRS
Fontecapes.gov.br / tede2.pucrs.br
ResumoEste trabalho tem por objetivo entender em que medida a construção da personagem no documentário Jogo de cena (2007), de Eduardo Coutinho, contribui para a compreensão da narrativa deste filme. A abordagem teórica a respeito da personagem se dá a partir de duas perspectivas - o conteúdo dos depoimentos e a forma com que eles são realizados no filme. O segundo eixo teórico refere-se a um estudo da narrativa cinematográfica, levando em conta aspectos como descrição, imaginário e narração. O trabalho inclui ainda o estudo do conceito de documentário e sua compreensão na obra do diretor Eduardo Coutinho. A metodologia utilizada é a análise fílmica, que tem como função destrinchar o objeto de pesquisa a fim de reconstruí-lo a partir do ponto-de-vista teórico formulado no trabalho.
ObservaçãoAnexo com a ficha técnica do filme (p.122).
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



18 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: GUIMARÃES, Isabel Padilha

Título: A imagem da violência urbana no documentário cinematográfico brasileiro na contemporaneidade

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social

Grau: Doutorado

Data de defesa: 12.03.2010

AutorGUIMARÃES, Isabel Padilha
TítuloA imagem da violência urbana no documentário cinematográfico brasileiro na contemporaneidade
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação Social
GrauDoutorado
Data de entrega2010
Data de defesa12.03.2010
Descrição físicav.1; 209 f.; Ilustrado com 68 fotos e duas tabelas.
DisponibilidadeBiblioteca Central PUCRS
Fonteverum.pucrs.br / tede.pucrs.br
ResumoA pesquisa tem por objetivo a análise da imagem da violência urbana no cinema documentário brasileiro, utilizando como objeto de estudo, um grupo de cinco documentários, realizados entre 2002 e 2004: Ônibus 174 (José Padilha, 2002), Fala tu (Guilherme Coelho, 2003), O cárcere e a rua (Liliana Sulzbach, 2004), O prisioneiro da grade de ferro (Paulo Sacramento, 2004) e Justiça (Maria Augusta Ramos, 2004). O trabalho se concentrará em longas-metragens produzidos no Brasil e que chegaram ao circuito comercial. Trata-se de um recorte específico e representativo de um aspecto da produção audiovisual nacional, que se refere à relação do documentário com a violência urbana. Neste sentido, serão examinadas as questões da representação e da impressão de realidade proporcionadas pelas imagens cinematográficas, servindo como suporte para o estudo das obras. Na análise dos cinco documentários, se objetiva o exame das particularidades da violência, buscando compreender a relação dos elementos culturais e cinematográficos que conduzem à constituição de um imaginário. Partindo desta constatação, serão esboçadas duas noções que contribuirão para este estudo, que são o espaço urbano e a alteridade. O método utilizado será a análise temática proposta por Francesco Casetti.
ObservaçãoAnexo A com tabela de filmes lançados de 1995 a 2008 (p.180-93)
Anexo B com público e renda por ano (p.194-97)
Anexo C com fichas técnicas dos filmes analisados (p.198-203)
Anexo D com cartazes (p.204-9).
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



19 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: RÊGO, Isabel Almeida Marinho do

Título: A cultura jovem contemporânea presente na sinergia de linguagens do cinema brasileiro

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social

Grau: Mestrado

Data de defesa: 26.01.2009

AutorRÊGO, Isabel Almeida Marinho do
TítuloA cultura jovem contemporânea presente na sinergia de linguagens do cinema brasileiro
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação Social
GrauMestrado
Data de entrega2008
Data de defesa26.01.2009
Descrição físicav.1; 127 f.; Ilustrado com fotogramas dos filmes analisados.
DisponibilidadeBiblioteca Central PUCRS
Fonterepositorio.pucrs.br
ResumoEsta pesquisa analisa o imaginário dos jovens em quatro longas-metragens brasileiros de ficção: Nina (2004), Cama de Gato (2004), A Concepção (2006) e Árido Movie (2006). Teorias sobre a cultura contemporânea são exemplificadas por muitas das situações retratadas nestes filmes protagonizados por jovens. A sinergia que há entre a linguagem do cinema com a dos jogos, histórias em quadrinhos, animações, videoclipes, instalações artísticas e programas de televisão apresenta a perspectiva estética da imagem dos jovens apresentada pela amostra escolhida e reforça as idéias sobre a sociedade contemporânea presentes na pesquisa.
ObservaçãoAnexo com as fichas técnicas dos filmes (p.123-26).
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



20 / 23
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: CORREA, Taciane Soares

Título: O imaginário de Porto Alegre revelado em Sal de Prata

Orientador: Cristiane Freitas Gutfreind

Universidade: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Instituição/Programa: Faculdade de Comunicação Social - Mestrado em Comunicação Social

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.12.2008

AutorCORREA, Taciane Soares
TítuloO imaginário de Porto Alegre revelado em Sal de Prata
OrientadorCristiane Freitas Gutfreind
UniversidadePontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Faculdade de Comunicação Social, Porto Alegre
Instituição/ProgramaMestrado em Comunicação Social
GrauMestrado
Data de entrega2008
Data de defesa01.12.2008
Descrição físicav.1; 203 f.; ilustrado.
DisponibilidadeBiblioteca Central PUCRS
Fontecapes.gov.br / pucrs.br
ResumoEste trabalho desvenda os aspectos da construção do imaginário da cidade de Porto Alegre inseridos no conteúdo do filme Sal de Prata, dirigido pelo cineasta gaúcho Carlos Gerbase em 2005. A partir dos possíveis caminhos dados pela Sociologia Compreensiva, interligando-os ao pensamento de Michel Maffesoli e Massimo Canevacci, entende-se que as noções de imaginário podem estar vinculadas ao conceito de metrópole comunicacional. Através das imagens e de outras linguagens apresentadas no filme Sal de prata estrutura-se o caminhar identificando diferentes ambientes e situações que remetem ao imaginário da cidade. Registros sobfe a geografia, os hábitos adotados pela população, a infra-estrutura, são relevantes na narrativa fílmica já que identificam características da cidade de Porto Alegre - substratos elementares para o desenvolvimento desta pesquisa.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



página 1 de 2
ir para página        

Banco de teses sobre Cinema Brasileiro

   
Pesquisar (apenas um termo por linha):
no campo:
 
1     
2   
3