logo

Termo(s) de pesquisa:
OR_Consuelo da Luz Lins []
Registros encontrados:
página 1 de 1


1 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SILVA, Patrícia Rebello

Título: O documentário sob o risco do ensaio: subjetividade, liberdade e montagem

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Instituição/Programa: - ECO

Grau: Doutorado

Data de defesa: 2012

AutorSILVA, Patrícia Rebello
TítuloO documentário sob o risco do ensaio: subjetividade, liberdade e montagem
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012
Instituição/ProgramaECO
GrauDoutorado
Data de defesa2012



2 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: REZENDE FILHO, Luíz Augusto Coimbra de

Título: A traição das imagens: documentário, eloqüência e representação pictórica moderna

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Instituição/Programa: - ECO

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2000

AutorREZENDE FILHO, Luíz Augusto Coimbra de
TítuloA traição das imagens: documentário, eloqüência e representação pictórica moderna
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000
Instituição/ProgramaECO
GrauMestrado
Data de defesa2000



3 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: REGO, Alita Villas Boas de Sá

Título: A imagem além da forma: o cinema de sensações

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Instituição/Programa: - ECO

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2000

AutorREGO, Alita Villas Boas de Sá
TítuloA imagem além da forma: o cinema de sensações
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000
Instituição/ProgramaECO
GrauMestrado
Data de defesa2000



4 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: OLIVEIRA, Juliano Gomes de

Título: Jonas Mekas: documentário e subjetividade

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Instituição/Programa: - ECO

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2010

AutorOLIVEIRA, Juliano Gomes de
TítuloJonas Mekas: documentário e subjetividade
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010
Instituição/ProgramaECO
GrauMestrado
Data de defesa2010



5 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: MENEZES, Adriana Maria Cursino de

Título: Poesia em forma de imagens: arquivo nas práticas experimentais de cinema

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Instituição/Programa: - ECO

Grau: Doutorado

Data de defesa: 2013

AutorMENEZES, Adriana Maria Cursino de
TítuloPoesia em forma de imagens: arquivo nas práticas experimentais de cinema
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013
Instituição/ProgramaECO
GrauDoutorado
Data de defesa2013



6 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: FLORES, Maria Cecília Dias de Mello

Título: A imagem visual e a imagem sonora: uma relação pela diferença

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Instituição/Programa: Escola de Comunicação - Mestrado em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.08.1999

AutorFLORES, Maria Cecília Dias de Mello
TítuloA imagem visual e a imagem sonora: uma relação pela diferença
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
Instituição/ProgramaMestrado em Comunicação
GrauMestrado
Data de entrega1999
Data de defesa01.08.1999
Descrição físicav.1; 136 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fontecatalogodeteses.capes.gov.br / buscatextual.cnpq.br



7 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: CARIJÓ, Sérgio Maranhão

Título: Modernismo e pós-modernismo: influências estéticas do cinema contemporâneo

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Mestrado

Data de defesa: 1999

AutorCARIJÓ, Sérgio Maranhão
Título Modernismo e pós-modernismo: influências estéticas do cinema contemporâneo
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
GrauMestrado
Data de entrega1999
Data de defesa1999
Descrição físicav.1; 103 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fontecatalogodeteses.capes.gov.br



8 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: ALTMANN, Eliska

Título: Por uma representação verdadeira: o caso do manifesto cinematográfico Dogma 95

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2003

AutorALTMANN, Eliska
TítuloPor uma representação verdadeira: o caso do manifesto cinematográfico Dogma 95
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
GrauMestrado
Data de entrega2003
Data de defesa2003
Descrição físicav.1; 146 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fonteufrj.br
ResumoA presente dissertação focaliza, fundamentalmente, o papel da verdade na obra de arte e a problematização da autoria a partir das questões estabelecidas pelo movimento cinematográfico dinamarquês Dogma 95 e seu respectivo manifesto. Primeiramente, são analisados os conceitos de verdade e mímesis, revertidos aos sentidos de “cinema documental" e “cinema ficcional”. Assim, contrasta-se à verdade ideal platônica e transcendente uma verdade aparente e múltipla nietzscheana. Posteriormente, elabora-se uma releitura dos conceitos de transparência e temporalidade criados por algumas das principais teorias de cinema, de forma a ser demonstrado um paralelo entre estes conceitos e a estética filmica “dogmática”. Finalmente, será discutida, a partir de um ponto de vista sociológico, a possibilidade do “novo” na contemporaneidade apresentada por um movimento consciente de si.



9 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: MACHADO, Patrícia Furtado Mendes

Título: Imagens que restam: a tomada, a busca dos arquivos, o documentário e a elaboração de memórias da ditadura militar

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Instituição/Programa: Escola de Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura

Grau: Doutorado

Data de defesa: 2016

AutorMACHADO, Patrícia Furtado Mendes
TítuloImagens que restam: a tomada, a busca dos arquivos, o documentário e a elaboração de memórias da ditadura militar
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura
Abragência do estudo1964-1985
GrauDoutorado
Data de entrega2016
Data de defesa2016
Descrição físicav.1; 226 f.; ilustrado.
DisponibilidadeBiblioteca UFRJ
Fonteobjdig.ufrj.br
ResumoA pesquisa realizada no âmbito do doutorado tem como objeto imagens cinematográficas produzidas durante o período da ditadura militar brasileira (1964 a 1985) coletadas em acervos públicos e privados no Brasil, no exterior e retomadas pelo cinema documental a partir dos anos 1970. Propomos uma análise histórica e estética a fim de reconstituir as trajetórias desses arquivos visuais, dos cineastas engajados que os produziram, assim como de homens e mulheres que foram filmados por eles. Interrogamos quem eram essas pessoas e como foram afetadas pela ditadura. Inspiramo-nos nos métodos dos historiadores Daniel Arasse, Sylvie Lindeperg e Carlo Ginzburg ao nos deter nos pormenores e analisar as imagens em seus detalhes para cruzá-las a documentos produzidos pela repressão, entrevistas e testemunhos de quem viveu o período. O método prático que se constituiu ao longo da pesquisa consistiu em seguir os caminhos das imagens desde a tomada até a retomada, analisar os olhares portados sobre elas, observá-las atentamente na espera que o detalhe pudesse aparecer e tornar visível o invisível. O intuito foi compreender de que modo o ato de empunhar a câmera para produzir imagens testemunhais pode colaborar para a elaboração de memórias políticas e coletivas. O objetivo principal foi mostrar como imagens que sobreviveram à perseguições da censura, da polícia, à clandestinidade, às ações do tempo podem ser usadas para trazer à tona histórias de vidas negligenciadas e esquecidas durante e após o regime de suspensão democrática, assim como evidenciar a tarefa política do pesquisador de buscar os rastros que deixaram.[...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



10 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: MEDEIROS, Rúbia Mércia de Oliveira

Título: Partida, deslocamento e exílio: escrever com a imagem o processo de subjetivação e estética em filmes-carta

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Instituição/Programa: Escola de Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 04.05.2012

AutorMEDEIROS, Rúbia Mércia de Oliveira
TítuloPartida, deslocamento e exílio: escrever com a imagem o processo de subjetivação e estética em filmes-carta
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação
GrauMestrado
Data de entrega2012
Data de defesa04.05.2012
Descrição físicav.1; 171 f.; Ilustrado.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fonteobjdig.ufrj.br
ResumoDe que maneira a escrita de si torna-se uma operação no campo do documentário subjetivo? O ponto central de nosso estudo envolve investigar de que forma o sujeito, quando em situações de partida, deslocamento e exílio, produz inscrições de um "eu" subjetivo. A partir desta questão, a nossa proposta pretende identificar formas e modos de subjetivação e estética em filmes-carta. Partimos primeiramente de um estudo sobre a ideia de ensaio literário e ensaio fílmico para identificar a emergência do cinema subjetivo nas obras de Chris Marker, Jonas Mekas, Agnès Varda e Jean Rouch. A partir desta questão construiremos um diálogo com as diferenças e aproximações no que pode ser pensado como filme-carta, filme-diário, filme-autobiográfico. Para tal intento, pesquisaremos a experiência estética na produção audiovisual contemporânea através de três filmes-cartas brasileiros: Cidade Desterro de Gláucia Soares (2009), Querida Mãe de Patrícia Cornils (2009) e De Glauber para Jirges (2005) de André Ristum.
ObservaçãoAnexo 1 com reproduções de imagens dos filmes analisados (p.164-71).
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



11 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SILVA, Patrícia Rebello da

Título: Documentários performáticos: a incorporação do autor como inscrição da subjetividade

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.02.2005

AutorSILVA, Patrícia Rebello da
TítuloDocumentários performáticos: a incorporação do autor como inscrição da subjetividade
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
GrauMestrado
Data de entrega2004
Data de defesa01.02.2005
Descrição físicav.1; 202 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fonteobjdig.ufrj.br / capes.gov.br
ResumoEste estudo tem como objeto principal o filme documentário - especificamente, a descrição e análise e discussão de um tipo específico de filmes dessa forma de cinema, o documentário performático, tal como foi identificado pelo teórico americano professor Bill Nichols. Os documentários performáticos caracterizam-se por uma abordagem essencialmente subjetiva, trazendo o próprio documentarista e seus questionamentos mais particulares para o centro do filme. A ficcionalização da objetividade, a importância da auto-representação, a incorporação do conhecimento e processsos de auto-reflexão são algumas questões tratadas. Essa dissertação procura descrever o processo de criação da subjetividade no campo do filme documentário, encontrando no performático um momento emblemático dessa representação. A disssertação se dividi em 2 partes. Na primeira, trata-se de esclarecer as bases teóricas do documentário - em especial, na metodologia definida por Bill Nichols - criando bases para absorção do documentário performático. A segunda parte concentra-se na análise de filmes, divididos de acordo com as principais características identificadas. O estudo do documentário performático tem por função instigar a descoberta de novas formas de linguagem para esse tipo de cinema, complexificando um campo teórico que vem crescendo com força.
ObservaçãoTambém aparece com 186 p. Nas páginas 134-9 há a análise do filme 33 de Kiko Goifman. Anexos com fichamento de teóricos do documentário: Paul Rotha, Bill Nichols, Eric Barnow e Stella Bruzzi.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



12 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: BARROSO, Elianne Ivo

Título: Máquinas de agenciamento de imagens: uma construção para o estudo da técnica audiovisual

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Doutorado

Data de defesa: 01.04.2003

AutorBARROSO, Elianne Ivo
TítuloMáquinas de agenciamento de imagens: uma construção para o estudo da técnica audiovisual
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
GrauDoutorado
Data de entrega2002
Data de defesa01.04.2003
Descrição físicav.1; 190 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fontecatalogodeteses.capes.gov.br / minerva.ufrj.br
ResumoAtravés do histórico e análise dos equipamentos utilizados na edição de cinema, vídeo e imagem digital, se busca compreender o lugar da técnica e dos objetos na realização das obras audiovisuais.



13 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: ALVARENGA, Alexandre Curtiss

Título: Remanescentes do discurso das luzes: aspectos teóricos da crítica cinematográfica brasileira da década de 90

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Doutorado

Data de defesa: 2003

AutorALVARENGA, Alexandre Curtiss
TítuloRemanescentes do discurso das luzes: aspectos teóricos da crítica cinematográfica brasileira da década de 90
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
Abragência do estudo1991-2000
GrauDoutorado
Data de entrega2003
Data de defesa2003
Descrição físicav.1; 348 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fontecapes.gov.br / minerva.ufrj.br
ResumoTrata de aspectos teóricos da crítica cinematográfica brasileira da década de 90, analisando principalmente suas contribuições e variações políticas e ideológicas. Aborda as transformações sofridas pela crítica e pelo cinema brasileiro no transcorrer da última década, assinalando uma passagem significativa da tarefa crítica, antes quase toda feita em jornais e cineclubes, para o âmbito acadêmico.



14 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SILVA, Sonia Maria Oliveira da

Título: O sertão das memórias e Crede+Mi: impressões documentais de uma ficção

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.04.1999

AutorSILVA, Sonia Maria Oliveira da
TítuloO sertão das memórias e Crede+Mi: impressões documentais de uma ficção
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
GrauMestrado
Data de entrega1999
Data de defesa01.04.1999
Descrição físicav.1; 120 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fonteminerva.ufrj.br / eco.ufrj.br / capes.gov.br
ResumoA dissertação tem como objetivo traçar marcas que inscrevem os dois filmes numa tradição do cinema nacional que busca aproximar-se de temas de contextos sociais. Um outro aspecto destacado no trabalho é apontar as especificidades que aqueles filmes revelam em relação a outras cinematografias no país.
ObservaçãoO nome da autora também aparece como Sonia Maria Olivera da Silva.



15 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: OLIVEIRA, Paulo Passos

Título: O cinema brasileiro e a pós-modernidade: uma questão histórica

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.08.1998

AutorOLIVEIRA, Paulo Passos
TítuloO cinema brasileiro e a pós-modernidade: uma questão histórica
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
Abragência do estudo1991-2000
GrauMestrado
Data de entrega1998
Data de defesa01.08.1998
Descrição físicav.1; 113 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fontecapes.gov.br / eco.ufrj.br
ResumoA retomada da produção de filmes nacionais nos anos 90 é o eixo desta análise. Foi adotada a noção de Ciclo, que interpreta a produção do cinema nacional como estabelecida em meio a crises no subdesenvolvimento social. O Cinema Novo - ciclo/movimento que inaugurou a modernidade - dialogou com os cinemas modernos da sua época, como a Nouvelle Vague e o Neo-Realismo italiano. A partir do cinema moderno, a questão do cinema é articulada com a do sujeito social. O sujeito histórico tem importante atuação tanto no surgimento da modernidade cinematográfica quanto na modernidade histórica. Observa-se, então, que o cinema nasce moderno como a técnica, mas atinge a modernidade na época em que o mundo passava para a pós-modernidade. Desde os anos 80, um novo regime de imagens se estabelece no cinema brasileiro sob um universo de simulacros. Nos anos 90, com o reaquecimento da produção cinematográfica, o Brasil confirma as influências pós-modernas. As dicotomias nacional/estrangeiro, presente/passado, local/global, simulacros potencializados/despotencializados são questões presentes em nosso cinema atual, abordados em: Carlota Joaquina, princesa do Brasil; Terra estrangeira; O que é isso, companheiro?; A ostra e o vento; Central do Brasil; a nova versão de O cangaceiro e Baile perfumado.



16 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: MIGLIORIN, Cezar Avila

Título: Cronicamente inviável - um cinema terrorista

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.04.2001

AutorMIGLIORIN, Cezar Avila
TítuloCronicamente inviável - um cinema terrorista
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
GrauMestrado
Data de entrega2001
Data de defesa01.04.2001
Descrição físicav.1; 135 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fonteminerva.ufrj.br / capes.gov.br
NotasRelação dos filmes de Sergio Bianchi (p.129) e ficha técnica de Cronicamente inviável (p.130).
ResumoEsta dissertação tem como tema central o longa metragem Cronicamente inviável, de Sérgio Bianchi. Chamamos de cinema terrorista - conceito que emprestamos do filósofo Clément Rosset - um tipo de cinema que trabalha a realidade destruindo convenções sociais, espaciais e temporais para que a ficção intrínseca à realidade possa surgir. Analisaremos Cronicamente inviável sob esse prisma terrorista tentando identificar o que o filme se propõe a destruir, como esta destruição é feita - cinematograficamente -, bem como o objetivo final deste terrorismo.
ObservaçãoO autor aparece como Cezar Migliorin.



17 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: CURSINO, Adriana

Título: Fragmentos de realidade (As estéticas cinematográficas construídas pelo Cinema Verdade francês e pelo Cinema Direto americano e suas relações com o documentário brasileiro contemporâneo)

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.12.2001

AutorCURSINO, Adriana
TítuloFragmentos de realidade (As estéticas cinematográficas construídas pelo Cinema Verdade francês e pelo Cinema Direto americano e suas relações com o documentário brasileiro contemporâneo)
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
GrauMestrado
Data de entrega2001
Data de defesa01.12.2001
Descrição físicav.1; 127 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fontecapes.gov.br / minerva.ufrj.br
ResumoIdentificação dos estilos de documentário conhecidos como Cinema Verdade francês e Cinema Direto americano; discussão das transformações impostas por esses movimentos à tradição do documentário. Análise dos filmes Crônica de um verão (1960), de Jean Rouch e Edgar Morin, e Primárias (1960), de Robert Drew e Richard Leacock, obras que deram início ao Cinema Verdade e ao Cinema Direto, respectivamente. Identificação dos princípios desses movimentos ao cinema de Eduardo Coutinho e de João Salles, a partir dos filmes Babilônia 2000 (1999) e Santa Cruz (1999). Análise das relações éticas e estéticas nessas diferentes metodologias.
ObservaçãoA autora também aparece como Adriana Maria Cursino de Menezes. Os casos brasileiros säo estudados na Parte II da dissertação (p.73-106).



18 / 18
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: MACÁRIO, Leonardo Côrtes

Título: Carnaval Atlântida: o manifesto musical da chanchada carnavalesca

Orientador: Consuelo da Luz Lins

Universidade: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.03.1999

AutorMACÁRIO, Leonardo Côrtes
TítuloCarnaval Atlântida: o manifesto musical da chanchada carnavalesca
OrientadorConsuelo da Luz Lins
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Comunicação, Rio de Janeiro
GrauMestrado
Data de entrega1999
Data de defesa01.03.1999
Descrição físicav.1; 145 f.
DisponibilidadeBiblioteca ECO
Fontecapes.gov.br / ufrj.eco.br
ResumoEstudo da chanchada carnavalesca a partir dos números musicais do filme Carnaval Atlântida (de José Carlos Burle). Em meio às discussöes sobre a viabilidade do projeto industrial da Vera Cruz - cujo objetivo era o "cinema de qualidade internacional", oposto ao da Atlântida -, o filme é um "manifesto" em prol de um cinema "popular", vinculado ao Carnaval e realizado através da paródia. Busca-se ainda analisar de que modo a chanchada se relaciona com o modelo musical hollywoodiano, que copia ironicamente.



página 1 de 1

Banco de teses sobre Cinema Brasileiro

   
Pesquisar (apenas um termo por linha):
no campo:
 
1     
2   
3