logo

Termo(s) de pesquisa:
OR_Carlos Augusto Viana da Silva []
Registros encontrados:
página 1 de 1


1 / 12
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: FONSECA, Jivago Oliveira da

Título: A humanidade pelo ralo: relações sociais enquanto montagens perversas em O Cheiro do ralo de Lourenço Mutarelli e Heitor Dhalia

Orientador: Carlos Augusto Viana da Silva

Universidade: Universidade Federal do Ceará

Instituição/Programa: Centro de Humanidades - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2017

AutorFONSECA, Jivago Oliveira da
TítuloA humanidade pelo ralo: relações sociais enquanto montagens perversas em O Cheiro do ralo de Lourenço Mutarelli e Heitor Dhalia
OrientadorCarlos Augusto Viana da Silva
UniversidadeUniversidade Federal do Ceará - Centro de Humanidades, Fortaleza
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauMestrado
Data de entrega2017
Data de defesa2017
Descrição físicav.1; 153 f.; ilustrado com 16 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFCE
Fonterepositorio.ufc.br
ResumoEm O Cheiro do Ralo (2002), do escritor paulista Lourenço Mutarelli, encontramos a trajetória de um imoral comprador de objetos usados que se utiliza de sua posição de poder com o propósito de submeter os sujeitos ao seu redor, objetificando-os e instrumentalizando-os a fim de satisfazer os desejos perversos dele – frutos de uma lógica mercadológica que cada vez mais permeia as ações dos sujeitos na sociedade contemporânea. O presente estudo propõe identificar as potencialidades referencial e crítica do romance O Cheiro do Ralo de Mutarelli e de sua adaptação cinematográfica homônima dirigida por Heitor Dhalia (2006) a partir de uma análise de como, em cada uma dessas formas textuais, as relações humanas, inerentes a um contexto sociocultural norteado pelo mercado e pelo espetáculo, são representadas como ações legitimadoras da perversão social. Inicialmente [...[
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



2 / 12
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SAMPAIO, Aíla Maria Leite

Título: O mal em Crônica da casa assassinada: uma análise da personagem Nina na literatura e no cinema

Orientador: Carlos Augusto Viana da Silva

Universidade: Universidade Federal do Ceará

Instituição/Programa: Centro de Humanidades - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Doutorado

Data de defesa: 2018

AutorSAMPAIO, Aíla Maria Leite
TítuloO mal em Crônica da casa assassinada: uma análise da personagem Nina na literatura e no cinema
OrientadorCarlos Augusto Viana da Silva
UniversidadeUniversidade Federal do Ceará - Centro de Humanidades, Fortaleza
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauDoutorado
Data de entrega2018
Data de defesa2018
Descrição físicav.1; 188 f.; ilustrado com 21 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca Comunitária UFCE
Fonterepositorio.ufc.br
ResumoNas obras de Lúcio Cardoso, a mulher se sobressai como uma personagem de força recorrente, que, não raro, aparece associada ao mal e à destruição, muitas vezes hostilizada e julgada, como se fosse a causadora de todos os problemas dos que a cercam. A protagonista do romance Crônica da Casa Assassinada (1959), por exemplo, é delineada como uma mulher que transgride o papel de esposa e mãe, assumindo posturas que levam os outros personagens a associá-la ao mal. Em 1971, o cineasta Paulo César Saraceni roteirizou e adaptou essa obra para o cinema, trazendo a lume o filme Casa assassinada, consolidando a parceria entre a literatura e o cinema. O objetivo desta tese é investigar como essa adaptação dialoga com o texto de partida, analisando se há influência da poética de Lúcio Cardoso na de Saraceni, como se manifesta, no filme, o modelo ambivalente da mulher julgada má; se essa maldade se confirma pela necessidade de autodefesa ou decorre da interpretação dos outros, que não entendem as diferenças individuais e culturais; se as estratégias utilizadas pelo diretor trazem implicações significativas para o reposicionamento da obra de partida no cânone literário brasileiro ou para a adesão do leitor, levando em consideração estudos anteriores como os de Lamego (2013), Penha Cardoso (2011; 2012; 2013; 2015); Carelli (1988), ROSA E SILVA (2009) entre outros.[...]
ObservaçãoOnze páginas sem numeração.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



3 / 12
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: XAVIER, Larissa Pinheiro

Título: O amor nos tempos do cólera e a tradução do espaço para o contexto do cinema

Orientador: Carlos Augusto Viana da Silva

Universidade: Universidade Federal do Ceará

Instituição/Programa: Faculdade de Letras - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2013

AutorXAVIER, Larissa Pinheiro
TítuloO amor nos tempos do cólera e a tradução do espaço para o contexto do cinema
OrientadorCarlos Augusto Viana da Silva
UniversidadeUniversidade Federal do Ceará - Faculdade de Letras, Fortaleza
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauMestrado
Data de entrega2013
Data de defesa2013
Descrição físicav.1; 101 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFC
Fonterepositorio.ufc.br
ResumoO amor nos tempos do cólera (1995), de Gabriel Garcia Márquez, apresenta traços marcantes do estilo do autor. Suas narrativas têm como características as descrições psicológicas das personagens, as descrições físicas das personagens e dos ambientes, o realismo mágico e a linguagem culta e a coloquial. Além disso, essa obra apresenta a construção de uma representação do espaço latino-americano como uma característica relevante. Este romance foi adaptado para o cinema por Mike Newell, em 2007, com título homônimo. Nesse sentido, trazemos para a discussão a análise da construção do espaço da obra e sua tradução para o cinema, tendo como base os princípios dos Estudos de Tradução e a Transculturação Narrativa. O objetivo principal é analisar a construção do espaço da obra no contexto da literatura e do cinema, considerando aspectos sócio-históricos do processo de criação. [...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



4 / 12
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: VERONESI, Raquel Barros

Título: A reescritura dos personagens womanistas de The Color purple para o cinema

Orientador: Carlos Augusto Viana da Silva

Universidade: Universidade Federal do Ceará

Instituição/Programa: Centro de Humanidades - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 05.03.2015

AutorVERONESI, Raquel Barros
TítuloA reescritura dos personagens womanistas de The Color purple para o cinema
OrientadorCarlos Augusto Viana da Silva
UniversidadeUniversidade Federal do Ceará - Centro de Humanidades, Fortaleza
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauMestrado
Data de entrega2015
Data de defesa05.03.2015
Descrição físicav.1; 160 f.
DisponibilidadeBiblioteca PROUFC
Fontebib.ufc.br
ResumoA presente dissertação analisa a tradução do “womanismo” em The Color Purple (1982), da escritora Alice Walker, para o filme homônimo de 1985, dirigido por Steven Spielberg. O ermo womanism, embora se refira também ao feminismo negro, diz respeito a um movimento que transcende o social; ele é, portanto, um movimento espiritual, comprometido com a sobrevivência e o bem-estar de todas as pessoas, independente de raça, sexo, religião, entre outros aspectos. [...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



5 / 12
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SOUZA, José Ailson Lemos de

Título: Howard’s end: o espaço nas narrativas literária e fílmica

Orientador: Carlos Augusto Viana da Silva

Universidade: Universidade Federal do Ceará

Instituição/Programa: - Mestrado em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2012

AutorSOUZA, José Ailson Lemos de
TítuloHoward’s end: o espaço nas narrativas literária e fílmica
OrientadorCarlos Augusto Viana da Silva
UniversidadeUniversidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012
Instituição/ProgramaMestrado em Letras
GrauMestrado
Data de defesa2012



6 / 12
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SILVA, Ricelly Jáder Bezerra de

Título: A tradução do personagem Elizabeth Bennet, de Pride and prejudice, para o cinema

Orientador: Carlos Augusto Viana da Silva

Universidade: Universidade Federal do Ceará

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2014

AutorSILVA, Ricelly Jáder Bezerra de
TítuloA tradução do personagem Elizabeth Bennet, de Pride and prejudice, para o cinema
OrientadorCarlos Augusto Viana da Silva
UniversidadeUniversidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauMestrado
Data de defesa2014



7 / 12
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: NUNES, Francisco Romário

Título: The road: o tema da violência da escrita para as telas

Orientador: Carlos Augusto Viana da Silva

Universidade: Universidade Federal do Ceará

Instituição/Programa: Centro de Humanidades - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2015

AutorNUNES, Francisco Romário
TítuloThe road: o tema da violência da escrita para as telas
OrientadorCarlos Augusto Viana da Silva
UniversidadeUniversidade Federal do Ceará - Centro de Humanidades, Fortaleza, 2015
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauMestrado
Data de entrega2015
Data de defesa2015
Descrição físicav.1; 150 f.
DisponibilidadeBiblioteca UFCe
Fonterepositoriobib.ufc.br
ResumoEste trabalho analisa a tradução da obra The Road (2006), de Cormac McCarthy, para o cinema, com foco na temática da violência e a forma como foi traduzida na narrativa fílmica. The Road narra a história de um pai e seu filho, ambos sobreviventes de uma catástrofe ocorrida na terra. Juntos caminham em direção à costa sul dos Estados Unidos. Durante a jornada, os personagens reescrevem a História americana, país que obteve sua expansão territorial do norte para o sul. No entanto, não há nada para conquistar, pois o Oeste vive dias pós-apocalípticos. Dessa forma, os personagens vagueiam entre cadáveres e buscam proteger-se de grupos que praticam canibalismo. O romance, com esse enredo, alcançou popularidade no seu país de origem, assim como obteve prestígio da academia, que culminou com o prêmio Pulitzer de ficção. Três anos depois de seu lançamento, The Road foi adaptado para o cinema com o título homônimo, dirigido por John Hillcoat. Nosso principal objetivo, portanto, é
investigar quais as estratégias usadas pelo diretor para traduzir o tema da violência no cinema. Partimos da hipótese de que o filme traduziu a violência, seguindo parâmetros do melodrama hollywoodiano, por meio de uma construção narrativa que busca fazer com que o espectador crie identificação com os personagens.[...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



8 / 12
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: BRION, Nicolai Henrique Dianim

Título: A releitura de O Leão, a feiticeira e o guarda-roupa no cinema

Orientador: Carlos Augusto Viana da Silva

Universidade: Universidade Federal do Ceará

Instituição/Programa: Centro de Humanidades - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 28.06.2013

AutorBRION, Nicolai Henrique Dianim
TítuloA releitura de O Leão, a feiticeira e o guarda-roupa no cinema
OrientadorCarlos Augusto Viana da Silva
UniversidadeUniversidade Federal do Ceará - Centro de Humanidades, Fortaleza
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauMestrado
Data de entrega2013
Data de defesa28.06.2013
Descrição físicav.1; 114 f.; ilustrado com 16 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca UFC
Fonterepositorio.ufc.br
ResumoO Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa (1950), de C. S. Lewis, é uma típica narrativa de fantasia. Assim, apresenta características de forma e conteúdo que têm sido tradicionalmente empregadas pelo gênero, entre elas o apelo a uma atmosfera medieval. A história foi adaptada para o cinema de Hollywood em 2005 por Andrew Adamson, com título homônimo. O objetivo principal desta dissertação é discutir as estratégias utilizadas pelo diretor para produzir um blockbuster de ação no formato da clássica narrativa hollywoodiana, explorando os elementos fantásticos e medievais da obra. Parte-se da ideia de que a adaptação, embora oriunda de um texto que ocupa um espaço periférico no sistema literário britânico, consegue se destacar no sistema cinematográfico de Hollywood.[...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



9 / 12
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: BARROS, Francisco Rafael Silva

Título: Orlando e a tradução da personagem para as telas

Orientador: Carlos Augusto Viana da Silva

Universidade: Universidade Federal do Ceará

Instituição/Programa: Centro de Humanidades - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2012

AutorBARROS, Francisco Rafael Silva
TítuloOrlando e a tradução da personagem para as telas
OrientadorCarlos Augusto Viana da Silva
UniversidadeUniversidade Federal do Ceará - Centro de Humanidades, Fortaleza
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauMestrado
Data de entrega2012
Data de defesa2012
Descrição físicav.1; 125 f.; ilustrado com 22 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca UFC
Fonterepositorio.ufc.br
ResumoO presente trabalho analisa a tradução do romance/biografia Orlando (1928), de Virginia Woolf para as telas, no filme homônimo de 1993, da diretora Sally Potter. Orlando conta a história de um nobre inglês que cultiva o dom da escrita literária, vive por mais de trezentos anos e que sofre uma mudança de sexo, do masculino para o feminino. O foco da nossa pesquisa é a tradução da personagem principal, da literatura para o cinema: delineamos alguns traços de sua personalidade para compreendê-lo dentro do romance/biografia, como também consideramos alguns aspectos externos que o complementam ou fazem parte da sua construção; posteriormente, submetemos a personagem cinematográfica ao mesmo processo a fim de compararmos ambos. Para tal, partimos de uma prévia contextualização histórica dos objetos e de seus contextos de criação. Nossa pesquisa é fundamentada na teoria dos polissistemas de Itamar Even-Zohar (1978), no conceito de tradução como reescritura de André Lefevere (2007), no estudo da personagem de ficção de Antonio Candido (2007) e nos estudos de estética do cinema, de Jacques Aumont (1995). [...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



10 / 12
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: BARBOSA, Bruno de Paula

Título: Factótum: a tradução de Bukovski para o cinema

Orientador: Carlos Augusto Viana da Silva

Universidade: Universidade Federal do Ceará

Instituição/Programa: Departamento de Letras - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2015

AutorBARBOSA, Bruno de Paula
TítuloFactótum: a tradução de Bukovski para o cinema
OrientadorCarlos Augusto Viana da Silva
UniversidadeUniversidade Federal do Ceará - Departamento de Letras, Fortaleza
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauMestrado
Data de entrega2015
Data de defesa2015
Descrição físicav.1; 112 f.; ilustrado com 27 imagens.
DisponibilidadeBiblioteca UFC
Fonterepositorio.ufc.br
ResumoAdaptações fílmicas de textos literários são frequentes no meio cinematográfico na contemporaneidade e possuem grande alcance midiático sendo capaz de levar a imagem do autor e sua obra a públicos variados Sob essa perspectiva a adaptação fílmica age como uma tradução ao reescrever um texto produzido em determinada linguagem para outra Nesse sentido esta pesquisa visa analisar o processo de adaptação do romance Factotum (1975) do escritor norte-americano Charles Bukowski com foco na construção da personagem principal Henry Chinaski alter-ego do autor e herói de vários de seus contos e romances A obra foi adaptada para o cinema em uma produção homônima franco-norueguesa, escrita e dirigida pelo cineasta norueguês Bent Hamer em 2005 Partimos da ideia que a mudança de focalização entre os meios e o apagamento de determinadas características da escrita do autor como o humor e a ironia acarretam uma ressignificação do texto traduzido [...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



11 / 12
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: OLIVEIRA, Ailton Monteiro de

Título: A construção da personagem sinhá Vitória na tradução de Vidas secas para as telas

Orientador: Carlos Augusto Viana da Silva

Universidade: Universidade Federal do Ceará

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2013

AutorOLIVEIRA, Ailton Monteiro de
TítuloA construção da personagem sinhá Vitória na tradução de Vidas secas para as telas
OrientadorCarlos Augusto Viana da Silva
UniversidadeUniversidade Federal do Ceará, Fortaleza
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauMestrado
Data de entrega2013
Data de defesa2013
Descrição físicav.1; 114 f.; Ilustrado com cenas do filme analisado.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFC
Fonterepositorio.ufc.br
ResumoEste trabalho analisa a tradução do romance Vidas secas (1938), de Graciliano Ramos, para o cinema, por Nelson Pereira dos Santos, em 1963, com ênfase na construção da personagem sinha Vitória. O objetivo principal é verificar as alternativas estéticas do cineasta em relação à personagem, levando em consideração a sua tendência em privilegiar e dar mais espaço a personagens femininas em seus filmes. Isso se reflete principalmente em adaptações literárias realizadas pelo diretor, em que se percebe as suas intervenções, de modo a tornar as mulheres de suas obras mais fortes e ativas dentro do enredo. A fim de corroborar esta hipótese, fizemos uma comparação com outras obras do cineasta, como, por exemplo, as adaptações de contos de Machado de Assis. Através da análise de excertos do livro e sequências do filme, percebemos que, apesar de em ambos os textos sinha Vitória ter grande importância na narrativa, é no cinema que ela mais se destaca. Os resultados mostram que, no aspecto geral da produção, as opções estéticas utilizadas por Nelson Pereira dos Santos para traduzir a obra escrita apresentam-se por meio de estratégias, tais como poucas linhas de diálogo e tradução criativa do fluxo de consciência, através de mecanismos próprios do cinema, de modo a transmutar o universo literário do livro para as telas. Os principais teóricos utilizados para dar embasamento ao estudo são: Stam (2008), Hutcheon (2011) e Lefevere (2007), para a abordagem de tradução e adaptação [...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



12 / 12
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: ALVES, Renata da Costa

Título: Reescritura de Ensaio sobre a cegueira ao cinema: ressignificações das imagens

Orientador: Carlos Augusto Viana da Silva

Universidade: Universidade Federal do Ceará

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Letras

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.12.2012

AutorALVES, Renata da Costa
TítuloReescritura de Ensaio sobre a cegueira ao cinema: ressignificações das imagens
OrientadorCarlos Augusto Viana da Silva
UniversidadeUniversidade Federal do Ceará, Fortaleza
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Letras
GrauMestrado
Data de entrega2012
Data de defesa01.12.2012
Descrição físicav.1; 135 f.; Ilustrado.
DisponibilidadeBiblioteca UFC
Fontecapes.gov.br / ufc.br
ResumoEste trabalho propõe-se, por meio da análise do romance Ensaio sobre a cegueira (1995), de José Saramago, e de sua reescritura fílmica (2008), por Fernando Meirelles, investigar as estratégias de tradução, delineando, principalmente, como imagens do texto literário (a cegueira, a abjeção, o caos, a solidariedade e a própria trama.) foram ressignificadas na linguagem cinematográfica, gerando, assim, novas imagens do universo literário para novos públicos. [...] Inicialmente, fizemos algumas reflexões acerca dos estudos da tradução, em vista desses estudos, em parte, servirem de apoio às ideias seguidas neste trabalho, como o conceito de reescritura, de André Lefevere (1992). Posteriormente, serão focadas algumas questões elencadas por Saramago na construção do projeto narrativo de seu romance. Analisaremos a alegoria como recurso literário utilizado na ressignificação das imagens do mal branco - fio condutor do enredo. Serão levantadas questões internas e externas ao enredo, como o estudo da personagem e o contexto de produção e recepção o qual foi escrito o romance. No último capítulo, analisaremos como se deu a reescritura fílmica da obra, elencando algumas estratégias de tradução utilizadas pelo diretor em sua composição, além dos aspectos da poética fílmica e das intertextualidades. Os resultados mostram que a obra fílmica do diretor brasileiro não ficou à sombra do romance do autor português, pois adquiriu um caráter próprio, condicionado por fatores culturais, ideológicos, semióticos e autorais. [...]
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



página 1 de 1

Banco de teses sobre Cinema Brasileiro

   
Pesquisar (apenas um termo por linha):
no campo:
 
1     
2   
3