logo

Termo(s) de pesquisa:
OR_Antonio Carlos Amancio da Silva []
Registros encontrados:
página 1 de 1


1 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SOUZA, Aline Cristina Carvalho

Título: O cinema militante e as novas representações de resistência: Argentina e Bolívia – como o ressurgimento de um gênero cinematográfico está gerando a estética da resistência no audiovisual contemporâneo

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Instituição/Programa: - Instituto de Arte e Comunicação Social

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2011

AutorSOUZA, Aline Cristina Carvalho
TítuloO cinema militante e as novas representações de resistência: Argentina e Bolívia – como o ressurgimento de um gênero cinematográfico está gerando a estética da resistência no audiovisual contemporâneo
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense, Niterói, 2011
Instituição/ProgramaInstituto de Arte e Comunicação Social
GrauMestrado
Data de defesa2011



2 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: JACOB, Elizabeth Motta

Título: Um lugar para ser visto: a direção de arte e a construção da paisagem no cinema

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Grau: Mestrado

Data de defesa: 26.04.2006

AutorJACOB, Elizabeth Motta
TítuloUm lugar para ser visto: a direção de arte e a construção da paisagem no cinema
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Instituto de Arte e Comunicação Social, Niterói
GrauMestrado
Data de entrega2006
Data de defesa26.04.2006
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fonteuff.br
ResumoEsta Dissertação se propõe a evidenciar o trabalho da Direção de Arte enquanto um campo de análise e reflexão a respeito da estética de um filme. A Direção de Arte é aqui apresentada como base estruturante do trabalho fotográfico, elemento fundamental da criação da imagem cinematográfica. Este trabalho tem como questão a construção da imagem paisagística no cinema, através da intervenção da Direção de Arte. Para tanto foi necessário, de um lado, entender o processo de formação da paisagem enquanto figuração e, de outro, definir o campo de atuação da Direção de Arte e seus mecanismos de materialização plástica do universo ficcional. Os mecanismos utilizados pela Direção de Arte, sua forma de intervenção e uma tipologia que visa dar conta da especificidade da cenografia para cinema foram aqui construídos, de forma a possibilitar a análise da construção do lugar-paisagem em dois filmes: A vila, de M. Night Shyamalan, e Dogville, de Lars von Trier.



3 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: ANTONELLIS, Raffaella de

Título: Cinema possível/cinema mundo: os labirintos da simultaneidade

Orientador: Antônio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2003

AutorANTONELLIS, Raffaella de
TítuloCinema possível/cinema mundo: os labirintos da simultaneidade
OrientadorAntônio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Instituto de Arte e Comunicação Social, Niterói
GrauMestrado
Data de entrega2003
Data de defesa2003
Descrição físicav.1; 104 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central Gragoatá
Fonteufrgs.br
ResumoO cinema contemporâneo mundial sempre apresenta modalidades narrativas que quebram a forma linear tradicional. O presente trabalho pretende analisar uma dessas modalidades que apresenta diferentes possíveis desenvolvimentos de um enredo. Para a análise parte-se dos conceitos de "fio textual", "labirinto" e "mundo possível". O fio textual torna-se complexo e rizomático. O interesse do labirinto não é achar uma saída, mas sim explorar mundos possíveis. Histórias paralelas são "compossíveis" em diferentes mundos possíveis. A simultaneidade é a maneira em que se vivificam as histórias paralelas; a repetição é o modo como elas são narradas. O conceito de "imagem-tempo" elaborado por Deleuze é transformado em "imagem-tela", afirmando o poder do autor em criar um "cinema-mundo". Os filmes Corra Lola corra de Tom Tykwer (1998), De caso com o acaso de Peter Howitt (1998) e Smoking/No Smoking de Alain Resnais (1993) serão analisados para estudar diversas tipologias de aplicação desse modelo narrativo vendo como os fios textuais se organizam em tecidos binários, ternários e ramificados.



4 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: ARAÚJO, Karla Holanda de

Título: DOCTV: a produção independente na televisão

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Instituição/Programa: Departamento de Comunicação Social - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Grau: Doutorado

Data de defesa: 24.01.2013

AutorARAÚJO, Karla Holanda de
TítuloDOCTV: a produção independente na televisão
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Departamento de Comunicação Social, Niterói
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação
GrauDoutorado
Data de entrega2012
Data de defesa24.01.2013
Descrição físicav.1; 237 f.; Ilustrado com tabelas e gráficos.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fonteuff.br
ResumoEstudo da produção independente de documentários na televisão brasileira a partir do Programa DocTV, projeto criado e executado desde 2003 pela Secretaria do Audiovisual - órgão subordinado ao Ministério da Cultura. Os documentários do DocTV são produzidos em cada estado e exibidos em rede nacional através das emissoras públicas. Esse caráter regional da produção e da exibição é raro na história da relação entre televisão e produção independente no Brasil e torna-se oportunidade singular para se analisar o efeito que a descentralização pode provocar na produção audiovisual do país, no que se refere às categorias temáticas e às características estilísticas dos documentários produzidos em cada estado. Ao detalhar o funcionamento do DocTV - suas ações, metas e resultados -, verifica-se o papel ainda pouco definido da TV pública no Brasil e a vulnerabilidade de programas instituídos na esfera pública, que se tornam sujeitos a interrupções por governos que se sucedem. O estudo traça ainda um painel comparativo da relação entre produção independente e televisão em outros países e no Brasil.



5 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: NÚNEZ, Fabián Rodrigo Magioli

Título: O que é o Nuevo Cine Latinoamericano? O cinema moderno na América Latina segundo as revistas cinematográficas especializadas latino-americanas

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Instituição/Programa: Departamento de Comunicação Social - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Grau: Doutorado

Data de defesa: 13.04.2009

AutorNÚNEZ, Fabián Rodrigo Magioli
TítuloO que é o Nuevo Cine Latinoamericano? O cinema moderno na América Latina segundo as revistas cinematográficas especializadas latino-americanas
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Departamento de Comunicação Social, Niterói
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação
GrauDoutorado
Data de entrega2009
Data de defesa13.04.2009
Descrição físicav.3; 656 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fonteuff.br
ResumoA historiografia do cinema latino-americano dá um especial destaque a um conjunto da produção, realizado nos anos 1960/70, conhecido como Nuevo Cine Latinoamericano (NCL). O nosso objeto de pesquisa são os procedimentos retóricos e ideológicos utilizados pelas revistas cinematográficas especializadas latino-americanas para circunscrever as características, singulares ou não, do NCL. Faremos uma análise a partir do conceito de “Cinema Moderno”, visando não apenas compreender os argumentos dos redatores destes periódicos, mas lançar um olhar não exultório sobre o NCL, como tradicionalmente o faz, reiterando uma memória consagrada e mantida por seus próprios protagonistas.



6 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: IKEDA, Marcelo Gil

Título: O modelo das leis de incentivo fiscal e as políticas públicas cinematográficas a partir da década de noventa

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Instituição/Programa: Instituto de Arte e Comunicação Social - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 10.05.2011

AutorIKEDA, Marcelo Gil
TítuloO modelo das leis de incentivo fiscal e as políticas públicas cinematográficas a partir da década de noventa
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Instituto de Arte e Comunicação Social, Niterói
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação
GrauMestrado
Data de entrega2011
Data de defesa10.05.2011
Descrição físicav.1; 216 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fontecapes.gov.br / bdtd.ndc.uff.br
PublicaçãoIKEDA, Marcelo. Cinema brasileiro a partir da retomada. São Paulo, Summus Editorial, 2015.
ResumoEsta dissertação tem como objetivo descrever e analisar as políticas públicas federais para o setor cinematográfico implementadas no Brasil a partir da década de noventa, com o processo da retomada da produção cinematográfica após o desmanche da Era Collor. Representando um projeto industrialista, de recuperação da participação do mercado interno, a participação do Estado na promoção das políticas cinematográficas ocorreu de forma distinta do período imediatamente anterior, passando a ser baseada num modelo de fomento indireto, cristalizado nas leis de incentivo fiscal, especialmente no binômio Lei Rouanet-Art. 1º da Lei do Audiovisual. A dissertação analisa as transformações no perfil da política cinematográfica implementada no período, primeiro associando-a às transformações do próprio papel do Estado em fins da década de noventa, refletindo a crise de um Estado intervencionista e a recuperação do ideário liberal.[...] Desse modo, ao invés de uma robusta política industrial de ocupação do mercado audiovisual, houve basicamente uma política de produção de longas-metragens cinematográficos. O quarto capítulo analisa o impacto dessa política no mercado cinematográfico brasileiro (produção-distribuição-exibição), a partir de um extenso conjunto de tabelas e gráficos. Por fim, o quinto capítulo mostra outros paradoxos dessa política, com a implementação dos mecanismos automáticos de fomento (PAR e PIQCB), além da Lei nº 11.437/06, com alterações nos mecanismos de incentivo fiscal e a criação do Fundo Setorial do Audiovisual.
Acesso eletrônicoONLINE - Clique para acessar

Conteúdo eletrônico



7 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: MONSORES, Carlos Sobrosa Mesquita

Título: A melhor diversão? Para quem? Consumo de cinema no Brasil na era dos multiplex

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.05.2011

AutorMONSORES, Carlos Sobrosa Mesquita
TítuloA melhor diversão? Para quem? Consumo de cinema no Brasil na era dos multiplex
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Instituto de Arte e Comunicação Social, Niterói
GrauMestrado
Data de entrega2011
Data de defesa01.05.2011
Descrição físicav.1; 117 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fontecatalogodeteses.capes.gov.br
ResumoEsta dissertação busca analisar o consumo de filmes nas salas de cinema no Brasil depois do surgimento do multiplex. Para este fim, parte de teorias e autores de diversas disciplinas, tentando identificar como o consumo se insere na sociedade contemporânea, e de que maneira o consumo cultural se diferencia ou não do consumo de outros bens. A partir desta contextualização a dissertação tenta levantar as variáveis que influenciaram e tem influenciado na freqüência ou não das salas, para finalmente abordar, a partir de conceitos apresentados e dos dados disponíveis, a atuação do Estado em relação a este tema, em contraponto à atuação dos empresários/mercado. É apresentado o levantamento e análise das políticas públicas efetivamente empreendidas (ou ao menos apontadas, sugeridas) pelo governo federal para afetar de alguma forma este consumo, em contraponto a iniciativas privadas.



8 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: CESÁRIO, Lia Batista

Título: Uma análise do campo cinematográfico brasileiro sob a pespectiva industrial

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Instituição/Programa: Departamento de Comunicação Social - Programa de Pós Graduação em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.05.2009

AutorCESÁRIO, Lia Batista
TítuloUma análise do campo cinematográfico brasileiro sob a pespectiva industrial
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Departamento de Comunicação Social, Niterói
Instituição/ProgramaPrograma de Pós Graduação em Comunicação
GrauMestrado
Data de entrega2009
Data de defesa01.05.2009
Descrição físicav.1; 184 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fontecapes.gov.br / uff.br
ResumoO presente trabalho tematiza a relação entre cultura e indústria no Brasil a partir da análise das dinâmicas do campo cinematográfico brasileiro. A pesquisa enfoca a relação do Estado com a industrialização do cinema brasileiro nos anos 2000. Para tanto, a releitura dos principais marcos históricos da industrialização do cinema nacional subsidia a elaboração de uma moldura propícia à compreensão dos padrões de intervenção estatal no campo cinematográfico. Com base nesse referencial, exploram-se as conexões e desconexões entre os discursos, práticas e políticas regulatórias para o audiovisual nacional em tempos de globalização. A preservação dos lugares de distinção dos meios audiovisuais decorre não só de incoerências entre discursos e práticas, mas também de um processo incompleto de institucionalização da intervenção pública. No entanto, não se pode afirmar que o Brasil permaneceu imune às tendências de borramento das fronteiras dos meios audiovisuais. A experiência da Globo Filmes, movida por interesses privados, evidencia o potencial do trânsito entre cinema e televisão e vice-versa. Assim, as irregularidades na intervenção estatal deram vez ao surgimento de ensaios de viabilização de uma indústria audiovisual brasileira, mas não a uma política de Estado para a construção permanente das mediações entre cultura e economia.



9 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SILVA, Hadija Chalupe da

Título: A distribuição do filme nacional - considerações acerca de cinco filmes lançados em 2005

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Instituição/Programa: - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.04.2009

AutorSILVA, Hadija Chalupe da
TítuloA distribuição do filme nacional - considerações acerca de cinco filmes lançados em 2005
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense, Niterói
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação
GrauMestrado
Data de entrega2009
Data de defesa01.04.2009
Descrição físicav.1; 215 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fontecatalogodeteses.capes.gov.br / uff.br
PublicaçãoSILVA, Hadija Chalupe da. Filme nas telas: a distrbuição do cinema nacional. São Paulo, Terceiro Nome, 2010.
ResumoA dissertação propõe um estudo comparativo das formas de inserção do filme nacional no mercado brasileiro analisando as formas de distribuição de um filme feito com uma grande campanha de lançamento, distribuição de um filme médio e do filme de nicho. Desta maneira essa pesquisa tem o objetivo de contribuir como subsídio para que seja montado um panorama da estratégia de comercialização do filme nacional na contemporaneidade. Como objeto de estudo foram escolhidos cinco filmes lançados no ano de 2005: Dois Filhos de Francisco, de Breno Silveira; Cabra Cega, de Toni Venturi; Casa de Areia de Andrucha Waddington; Cidade Baixa, de Sérgio Machado; e Cinema, Aspirinas e Urubus, de Marcelo Gomes.



10 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: GÁLVEZ, Valéria Cláudia Valenzuela

Título: Sujeito, narração e montagem: novos modos de representação no documentário latino-americano contemporâneo

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Instituição/Programa: Departamento de Comunicação Social - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2008

AutorGÁLVEZ, Valéria Cláudia Valenzuela
TítuloSujeito, narração e montagem: novos modos de representação no documentário latino-americano contemporâneo
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Departamento de Comunicação Social, Niterói
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação
GrauMestrado
Data de entrega2008
Data de defesa2008
Descrição físicav.1; 131 f.; Ilustrado com fotos dos filmes analisados.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fonteuff.br
ResumoNa busca por identificar na produção documentária latino-americana contemporânea estruturas de caráter formal, a partir das quais seja possível reconhecer elementos comuns a todo o conjunto que, nas suas diversas combinações, revelem estruturas narrativas predominantes, foi construído um modelo de análise que permite organizar em categorias os elementos dicursivos e as figuras de montagem que se destacam nas obras. Percebe-se, no novo documentário de autor latino-americano, um olhar que observa o mundo histórico permeado por uma percepção subjetiva. O olhar do documentarista se faz evidente no filme através de um sujeito da enunciação que é parte do discurso, no seu papel de autor/personagem. Essa nova modalidade audiovisual contemporânea, cuja enunciação se manifesta como eu te digo que o mundo é assim, expressa um processo que junta elementos discursivos aparentemente antagônicos: o geral com o particular, o individual com o coletivo e o político com o pessoal. Se os documentaristas latinoa-americanos do Nuevo Cine elaboraram obras de linha didática e panfletária, suas preocupações, hoje, passam pela reflexão e pela subjetividade, destacando-se filmes auto-referentes que tratam do próprio processo de produção desta reflexão. Uma nova poética surge como prática de resistência, substituindo o que fora a linguagem revolucionária: uma "narrativa dos afetos", que a partir do registro do encontro entre quem filma e quem é filmado, constitui, também, enquanto idéia singular, um gesto político.
ObservaçãoA análise de Santiago está nas p.109-14. Anexo A com lista em ordem alfabética dos filmes citados no texto (p.126-9) e Anexo B com a sinopse dos filmes analisados (p.130-1).



11 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: GUERREIRO, Alexandre Silva

Título: A carnavalização e o grotesco pelo prisma do cinema brasileiro contemporâneo

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Instituição/Programa: Instituto de Arte e Comunicação Social - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.06.2007

AutorGUERREIRO, Alexandre Silva
TítuloA carnavalização e o grotesco pelo prisma do cinema brasileiro contemporâneo
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Instituto de Arte e Comunicação Social, Niterói
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação
GrauMestrado
Data de entrega2007
Data de defesa01.06.2007
Descrição físicav.1; 146 f.; Ilustrado.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fontecapes.gov.br / uff.br
ResumoO presente trabalho propõe uma reflexão acerca do cinema brasileiro contemporâneo sob o prisma do repetório teórico do russo Mikhail Bakhtin focando em dois conceitos-chave: a carnavalização e o grotesco. A partir de uma (re)leitura do universo de Bakhtin, pretendemos aproximar esses dois conceitos para, em seguida, experimentar sua aplicabilidade no panorama do cinema brasileiro e mundial, no curta-metragem Vereda tropical, de Joaquim Pedro de Andrade, e em três longas-metragens: A Marvada Carne, de André Klotzel, Carlota Joaquina, princesa do Brasil, de Carla Camurati, e Amélia, de Ana Carolina.



12 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: BAUMGARTEN, Vera

Título: A fotografia cinematográfica brasiliera: expressão de uma identidade

Orientador: Antonio Carlos Amancio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.03.2006

AutorBAUMGARTEN, Vera
TítuloA fotografia cinematográfica brasiliera: expressão de uma identidade
OrientadorAntonio Carlos Amancio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Instituto de Arte e Comunicação Social, Niterói
GrauMestrado
Data de entrega2006
Data de defesa01.03.2006
Descrição físicav.1; 148 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fontecapes.gov.br
ResumoO presente trabalho pretende analisar papel da fotografia cinematográfica na elaboração do produto-filme e estabelecer a relevância da sua participação na expressão de uma identidade nacional através do cinema. [...] Este trabalho procura inicialmente conceituar a produção cinematográfica como produto cultural de massa; contextualiza historicamente o cinema brasileiro, aborda os diversos elementos de que dispõe o diretor de fotografia para construir a imagem, investiga as fontes de referência, as influências de outras áreas das artes visuais, os símbolos e as referências singularmente brasileiras. A partir dessa referênciação teórica, o trabalho passa à prática de análise fílmica, enfocando dois momentos distintos na produção cinematográfica brasileira, propondo uma comparação entre a linguagem visual da década de 60 - que contrapõe a linguagem do Cinema Novo ao academicismo das produções de estúdio - e a cinematografia produzida de 1995 a 2005, com a sua variedade de propostas formais.



13 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SOUSA, Simplício Neto Ramos de

Título: O realismo na representação da favela carioca: uma análise axiográfica de três documentários brasileiros

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Instituição/Programa: Departamento de Comunicação Social - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.04.2006

AutorSOUSA, Simplício Neto Ramos de
TítuloO realismo na representação da favela carioca: uma análise axiográfica de três documentários brasileiros
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Departamento de Comunicação Social, Niterói
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Comunicação
GrauMestrado
Data de entrega2006
Data de defesa01.04.2006
Descrição físicav.1; 205 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fonteuff.br
ResumoEste trabalho consiste na leitura axiográfica de três documentários brasileiros de diferentes épocas, diferentes estilos e modos de realização documental. A questão é: que sistemas axiográficos estão contidos nesses três filmes e como eles se contrapõem? A Axiografia é uma disciplina proposta pelo teórico americano Bill Nichols. Uma disciplina que se propõe a estudar as implicações éticas, políticas e sociais da representação realista, em especial como estas questões funcionam no âmbito do realismo historiográfico próprio do documentário. [...] Uma breve história da favela carioca, do discurso criminal sobre ela, do discurso remocionista, e do discurso glamurizante, enfim de toda ambivalência que pontua a relação com a cidade formal. É o que também poderá ser depreendido das análises de Vida Nova na favela (1971), produção da Agência Nacional, de Rocinha 77 (1977) de Sérgio Peo e de Notícias de uma guerra particular (1999), de João Salles e Kátia Lund.



14 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: MORAES, Maria Tereza Mattos de

Título: Processos poéticos: a imaginação cinematográfica em Di-Glauber

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Grau: Mestrado

Data de defesa: 2000

AutorMORAES, Maria Tereza Mattos de
TítuloProcessos poéticos: a imaginação cinematográfica em Di-Glauber
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Instituto de Arte e Comunicação Social, Niterói
GrauMestrado
Data de entrega2000
Data de defesa2000
Descrição físicav.1; 147 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fontecapes.gov.br / ndc.uff.br
NotasDois apêndices: descrição do filme plano a plano (p.108-29) e filmografia (p.130-42)
dois anexos: texto de Glauber distribuído na estréia de Di-Glauber (p.143) e trechos da sentença de interdição do filme (p.145).
ResumoAnálise e reflexão do domínio do cinema documentário a partir de suas especificidades e tensões. Identificação das principais tendências existentes no cinema documentário, segundo modelos desenvolvidos por Bill Nichols. O trabalho situa e recupera a história da obra "Di-Glauber" no contexto do documentário cinematográfico brasileiro das décadas de 60 e 70. A partir da descrição formal do filme, faz-se a análise e reflexão de "Di-Glauber" segundo o Modo Reflexivo de Representação, desenvolvido por Bill Nichols. O trabalho parte da hipótese que "Di-Glauber" possui elementos da estética do Cinema Marginal.
ObservaçãoTambém aparece com 145 p.



15 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: MENDES, Lena Pinto

Título: Uma análise da dialética Graciliano Ramos/Nelson Pereira dos Santos: Vidas Secas

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.01.2000

AutorMENDES, Lena Pinto
TítuloUma análise da dialética Graciliano Ramos/Nelson Pereira dos Santos: Vidas Secas
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Instituto de Arte e Comunicação Social, Niterói
GrauMestrado
Data de entrega2000
Data de defesa01.01.2000
Descrição físicav.1; 120 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fontecapes.gov.br; app.uff.br
ResumoUma investigação sobre a relação entre Graciliano Ramos e Nelson Pereira dos Santos, dentro de Vidas secas: da arte literária à representação cinematográfica.
ObservaçãoTambém aparece com o título Uma análise da dialética Graciliano Ramos Nelson Rodrigues: Vidas secas e 95 p.



16 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: LOPES, Denise Costa

Título: Cinema brasileiro pós-Collor

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Grau: Mestrado

Data de defesa: 21.08.2001

AutorLOPES, Denise Costa
TítuloCinema brasileiro pós-Collor
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Instituto de Arte e Comunicação Social, Niterói
Abragência do estudo1991-2000
GrauMestrado
Data de entrega2001
Data de defesa21.08.2001
Descrição físicav.1; 172 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fontecapes.gov.br
NotasApêndice com 25 documentos como cronologia 1990-2001, bilheterias, lançamentos da Riofilme, público do filme brasileiro, tabelas e listagens dos filmes da década de 90 (p.143-72).
ResumoDa extinção da Embrafilme às propostas do Gedic. A política de fomento à atividade de cinema no país, na década de 90. Uma historiografia dos últimos 11 anos da produção, distribuição e exibição do cinema nacional, construída a partir de leituras dos jornais da época e do resgate oral com expoentes da atividade cinematográfica. Alguns subsídios quantitativos sobre o cinema brasileiro realizado entre 1990 e 2000.
ObservaçãoTambém aparece com 206 p.



17 / 17
Selecionar
Imprimir
Clique para ver +

Autor: SOUZA, Rosinalva Alves de

Título: O super-8 na Paraíba: cinema, sociedade e sexualidade

Orientador: Antonio Carlos Amâncio da Silva

Universidade: Universidade Federal Fluminense

Grau: Mestrado

Data de defesa: 01.07.2001

AutorSOUZA, Rosinalva Alves de
TítuloO super-8 na Paraíba: cinema, sociedade e sexualidade
OrientadorAntonio Carlos Amâncio da Silva
UniversidadeUniversidade Federal Fluminense - Instituto de Arte e Comunicação Social, Niterói
GrauMestrado
Data de entrega2001
Data de defesa01.07.2001
Descrição físicav.1; 100 f.
DisponibilidadeBiblioteca Central UFF
Fontecatalogodeteses.capes.gov.br
ResumoA Paraíba, apesar de ter uma grande familiaridade com a prática cinematográfica e um considerável volume de filmes produzidos tanto em películas profissionais como o 16 mm e o 35 mm, bem como na bitola amadora, a exemplo do super-8, mesmo sendo uma cinematografia que alcançou uma certa visibilidade no cenário cinematográfico nacional através do forte Ciclo de Cinema Documentário, ainda assim sofre com uma carência bibliográfica razoável. Além de uns poucos trabalhos, sendo a sua maioria no âmbito acadêmico, há poucos registros a respeito da sua cinematografia, especialmente no que diz respeito à ampla produção em super-8 que ocorreu no Estado na década de 1980, tendo sido inclusive responsável pela rearticulação do movimento de cinema na Paraíba num momento em que essa atividade encontrava-se desativada há quase uma década. O presente estudo tem como proposta resgatar historicamente esse movimento de cinema superoitista, através de um levantamento completo dos filmes, do mapeamento da trajetória dos cineastas, pontuando as condições de produção, historicizando uma ruptura estética com a tradicional linha documental, enveredando pela ficção, além de apontar os possíveis motivos pelos quais esse movimento num determinado momento teve uma produção orientada para a realização de filmes de abordagem sexual. Consequentemente, o trabalho pretende constituir-se como mais um elemento de referência bibliográfica para a cinematografia paraibana.
ObservaçãoEsta dissertaçäo não foi localiza na Biblioteca Central UFF. Também aparece com o título O Super-8 na Paraíba, aspectos do terceiro ciclo cinematográfico.



página 1 de 1

Banco de teses sobre Cinema Brasileiro

   
Pesquisar (apenas um termo por linha):
no campo:
 
1     
2   
3