logo

Termo(s) de pesquisa:
ID_TE20200320030313
Registros encontrados:
página 1 de 1


1 / 1
Selecionar
Imprimir
AutorALVARENGA, André Lima de
TítuloCenários da memória: a poética do espaço e as memórias na autorrepresentação cinematográfica de Andrei Tarkoviski
OrientadorPaulo César da Costa Gomes
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Instituto de Geociências, Rio de Janeiro
Instituição/ProgramaPrograma de Pós-Graduação em Geografia
GrauDoutorado
Data de entrega2014
Data de defesa09.05.2014
Descrição físicav.1; 213 f.; ilustrado.
DisponibilidadeBiblioteca IG
Fonteobjdig.ufrj.br
ResumoEm seu livro Cinema 2, Gilles Deleuze defende que após a Segunda Guerra Mundial surge um novo tipo de cinema, baseado num novo modo de representação. O filósofo sustenta que a imagem, nesse novo cinema, é capaz de libertar o tempo do movimento e apresentá-lo como uma imagem-tempo direta. No entanto, o próprio Deleuze, defende em Mil Platôs, que a cada movimento de desterritorialização conduz simultaneamente a um movimento de reterritorialização em novas bases, o que nos leva a perguntar: nesse cinema do tempo liberto do movimento, qual é o papel do espaço? O filme O Espelho, do cineasta russo Andrei Tarkovski, é citado por Deleuze como um dos filmes representativos do esquema da imagem-tempo, uma vez que não se baseia numa relação de causa e efeito ancorada no movimento de um herói tradicional, mas sim na apresentação de pensamentos, lembranças e sonhos de alguém que vislumbra e reflete sobre sua vida. Este filme é tomado, aqui, como um estudo de caso, porque seu próprio diretor também defende textualmente a tese do cinema como arte capaz de produzir uma impressão do tempo. Portanto, procurei verificar o papel do espaço neste filme que é dedicado a apresentar uma impressão do tempo.[...]
Acesso eletrônicoONLINE - http://objdig.ufrj.br/16/teses/819782.pdf




página 1 de 1

Banco de teses sobre Cinema Brasileiro

   
   
Todas as palavras (AND)    Qualquer palavra (OR)