logo

Termo(s) de pesquisa:
ID_TE20190728033145
Registros encontrados:
página 1 de 1


1 / 1
Selecionar
Imprimir
AutorMONTEIRO, Marialva Freitas Paranhos
TítuloA recepção da mensagem audiovisual pela criança: busca de um olhar antropológico diante do espectador cinematográfico infantil
OrientadorLuiz Felipe Baeta Neves Flores
UniversidadeFundação Getúlio Vargas - Instituto de Estudos Avançados em Educação, Rio de Janeiro
GrauMestrado
Data de entrega1990
Data de defesa01.09.1990
Descrição físicav.1; 156 f.
DisponibilidadeBiblioteca FGV
Publicaçãocapes.gov.br
bibliotecadigital.fgv.br
Notas8 anexos com tabela de locação de filmes da Fundação do Cinema Brasileiro
questionários aplicados às crianças sobre os filmes
esquema de comunicação fílmica (p.134-41).
ResumoOs estudos e pesquisas realizados sobre a recepção da mensagem audiovisual pela criança têm se preocupado muito mais com os efeitos dos meios de comunicação nos receptores do que com a capacidade de decodificação e leitura das mensagens por parte dos receptores. A meta deste trabalho é lançar um olhar antropológico diante do espectador infantil, procurando focaliza-lo nas suas várias diferenças segundo o meio, a região e o grupo social a que pertence, pois cada indivíduo é um caso particular. Tanto o texto fílmico quanto o texto escrito oferecem possibilidades de participação ativa do espectador/leitor que se projeta nas mensagens provocadas pelos espaços vazios e interstícios deixados no texto pelo autor. Por outro lado, verifica-se que a competência icônica é tão desejável quanto a competência linguística pois os educadores mais preocupados com a preparação na linguagem verbal não conseguem ver o que se passa com a criança na comunicação visual. Quanto às consequências pedagógicas é preciso salientar que a influência do filme é grande se o que ele veicula se desenvolve na mesma linha da educação cotidiana da criança e ela é pequena quando é oposta a esta educação. A pesquisa do trabalho fez perceber que não é preciso ter tanto medo da influência e do poder da imagem. O cinema não coloca nada alheio na criança, e sim dá lugar e a possibilidade de ação ao que já existe nela. Cabe observar ainda que não se deve ter apenas um olhar científico e dogmático na busca de parâmetros para a pesquisa da recepção cinematográfica infantil. Outros elementos como a emoção e o sonho podem ser introduzidos para estimular a razão.
ObservaçãoA autora se assina como Marialva Monteiro; também aparece com 148 p.
Acesso eletrônicoONLINE - http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/9110




página 1 de 1

Banco de teses sobre Cinema Brasileiro

   
   
Todas as palavras (AND)    Qualquer palavra (OR)