logo

Termo(s) de pesquisa:
ID_TE20180704060003
Registros encontrados:
página 1 de 1


1 / 1
Selecionar
Imprimir
AutorLIMA, Evelyn Furquim Werneck
TítuloArquitetura do espetáculo: teatros e cinemas na formação do espaço público das praças Tirandentes e Cinelândia, Rio de Janeiro, 1813-1950
OrientadorAfonso Carlos Marques dos Santos
UniversidadeUniversidade Federal do Rio de Janeiro - Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Rio de Janeiro
Abragência do estudo1813-1950
GrauDoutorado
Data de entrega1997
Data de defesa01.01.1997
Descrição físicav.2; 362 f.; Ilustrado.
DisponibilidadeBiblioteca IFCS
Fonteminerva.ufrj.br / capes.gov.br
PublicaçãoLima, Evelyn Furquim Werneck. Arquitetura do espetáculo: teatros e cinemas na formação da Praça Tiradentes e da Cinelândia. Rio de Janeiro, Editora UFRJ, 2000.
ResumoA pesquisa realiza uma análise social, arquitetônica e urbanística da formação e do desenvolvimento de duas praças cariocas, representativas de uma arquitetura que caracterizou as transformações do espaço público ao longo de cerca de um século e meio de arquitetura do espetáculo, ou seja, os inúmeros prédios construídos para a exibição de espetáculos teatrais e cinematográficos. O objetivo principal da tese é interpretar os significados das praças, que se tornaram pontos de convergência dos habitantes da cidade, bem como os significados da arquitetura do espetáculo que se concentrou naqueles espaços, verificando como se deu a importação cultural dos modelos estrangeiros. Através da observação da imprensa, dos comentários dos viajantes e cronistas, e dos registros iconográficos de época foi possível perceber os hábitos, os costumes e a receptividade do público quanto às mudanças sociais. A análise permitiu detectar a formação, o apogeu e o declínio do espaço público da Praça Tiradentes e da Cinelândia, assim como os fatores que contribuíram para a deterioração ou o fechamento das casas de espetáculo, resultando no abandono daqueles espaços. Outra questão enfocada foi a ambiguidade dos teatros e cinemas das praças, que, apesar de se pretenderem exemplos de modernidade, foram concebidos com o palco italiano, modelo que não se alteraria até a década de 1950. Para efeito da aplicação da metodologia dividiu-se o trabalho em duas partes. A primeira, A Praça Tiradentes: do Neoclássico ao Art-Déco, trata da praça Tiradentes desde os primeiros edifícios neoclássicos, quando o local era ainda conhecido como Rossio; passando pelo período republicano, quando transformou-se no lugar do mundanismo no contexto da cidade; e seguindo pela década de 30, período em que símbolos arquiteturais de modernidade conferiram ao espaço uma nova fisionomia. Finaliza a parte I a constatação de que o genius loci - entidade imaginária que tornava a localidade emblemática - se desloca.




página 1 de 1

Banco de teses sobre Cinema Brasileiro

   
   
Todas as palavras (AND)    Qualquer palavra (OR)